'Negra' do hóquei em ambiente quente com arbitragem no centro da polémica

O Dragão Arena recebe o jogo "5" da final do campeonato nacional de hóquei em patins. O fator casa favoreceu as equipas até ao jogo decisivo - duas vitórias no Porto para os dragões, duas para o Benfica na Luz. Uma final de ambiente hostil nos pavilhões e com críticas à arbitragem de ambos os lados com relato na TSF e acompanhamento ao minuto em tsf.pt.

O ruído ensurdecedor ao intervalo do jogo "4" nada tinha que ver com a qualidade das jogadas, dos golos, ou dos executantes numa final entre duas das melhores equipas da modalidade. Grande parte do público da Luz virava atenções para a própria bancada, para a presença de Luís Sénica, presidente da Federação Portuguesa de Patinagem (FPP), a quem imputam responsabilidade pela gestão da arbitragem. O jogo terminou com a vitória do Benfica, atirando a final para novo jogo no pavilhão do Futebol Clube do Porto, desta vez decisivo nas contas do título.

Mas a cena vista ao intervalo na Luz marca a eliminatória. Com apenas uma barreira entre dirigentes e adeptos, além da polícia presente no local, também Rui Costa teve de intervir. O presidente do Sport Lisboa e Benfica tentou acalmar os adeptos, mas os dirigentes da FPP tiveram de abandonar o local. Em campo, os jogadores esperavam que o público lhes devolve-se a atenção para reiniciar a partida.

No Twitter, o diretor de comunicação do Futebol Clube do Porto respondia. "Por falar em ver jogos de hóquei, Luís Sénica, presidente da federação de patinagem pode vir ao Dragão Arena assistir ao jogo decisivo, porque não será maltratado, nem incomodado. Os nossos adeptos serão, como habitualmente, inexcedíveis no apoio à equipa."

Com os ânimos exaltados ao intervalo, o presidente da Federação Portuguesa de Hóquei em Patins, Luís Sénica, foi vaiado, algo que obrigou a segurança do pavilhão a intervir. Ricardo Ares, treinador do Futebol Clube do Porto, recusou deitar mais achas para a fogueira sobre a arbitragem. "Não tenho nada a dizer quanto a isso, mas acho que é difícil o Benfica ter apenas duas faltas em 30 minutos num jogo com estas características", referiu no final do jogo "4" na Luz.

Do lado do Benfica, Nuno Resende preferiu destacar o trabalho da equipa, com uma bicada sobre a arbitragem desta final. "Trabalho psicológico, união do balneário, empatia com os adeptos, foi isto que nos levou ao 5.º jogo. Isto não é um prémio, porque o Benfica é ganhar. Se não ganharmos é um fracasso, mas estamos na decisão e ninguém nos vai tirar aquele 5.º jogo. Não vamos deixar."

Do lado do clube, a nota de comunicação diária no site "Benfica News" aponta o dedo aos juízes da final. "No quarto jogo, realizado ontem na Luz, vencemos o FC Porto por 5-3, num embate em que, mais uma vez, temos razões de queixa legítimas em relação à arbitragem."

Os comentários do Benfica com resposta de Francisco J. Marques no Twitter: "O campeonato de hóquei em patins vai decidir-se na negra, na quarta-feira à noite, mas o Benfica começou a interferir no jogo decisivo mal acabou a quarta partida, com a tradicional inversão da verdade dos factos, depois de beneficiar de uma arbitragem muito simpática."

Quanto ao jogo "5", Ricardo Ares garantiu que o fator casa será decisivo. "Jogar em casa, com os nossos adeptos, dá uma energia extra aos jogadores e é isso que queremos aproveitar. O Benfica ganhou os jogos em casa, mas acho que no geral estivemos melhor, mas no play-off o que conta são as vitórias. Estamos totalmente confiantes de que vamos ganhar este campeonato", rematou.

O jogo "5" disputa-se no Dragão Arena esta quarta-feira, 20h00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de