"Ninguém quer ver repetido o que se passou no Dragão"

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, considera que os incidentes no clássico do campeonato foram "demasiados" e espera que os episódios não se repitam agora no jogo para a Taça.

O treinador do FC Porto reconheceu que os incidentes do último jogo com o Sporting, para o campeonato, foram "demasiados" e garantiu que ninguém os quer repetir na partida das meias-finais da Taça de Portugal de futebol.

"Tenho um grupo de trabalho experiente, mesmo os jovens estão habituados a estes palcos e a estes ambientes. Ninguém quer ver repetido o que se passou no Dragão. Não foi preciso estar com grandes alertas. São situações desagradáveis que aconteceram, mas temos pessoas inteligentes nos dois clubes para perceberem que aquilo foi demasiado", partilhou Sérgio Conceição, em conferência de imprensa.

Na antevisão da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, agendada para quarta-feira, o treinador dos 'azuis e brancos' reiterou que o objetivo do clube é "chegar à final e ganhar", esperando que a equipa "dê o melhor", mesmo "num contexto de muitos jogos" e, face ao qual, admitiu fazer alguma gestão de grupo.

"Temos que olhar para quem está melhor e perceber qual o 'onze' que nos pode dar garantias para ganhar o jogo. Não é uma gestão a pensar no Paços de Ferreira [desafio seguinte, para a I Liga], mas sim por causa do momento dos jogadores", referiu.

Questionado sobre qual a estratégia que espera do adversário, Sérgio Conceição acredita que "estruturalmente o Sporting não vai mudar", garantindo estar preparado para uma equipa com dois avançados.

"É o campeão nacional, está na Liga dos Campeões, tem uma equipa forte, com uma boa equipa técnica, com bons jogadores individualmente e bem trabalhada coletivamente. É um adversário forte, um dos que temos nas competições internas", analisou o treinador do FC Porto.

Os 'dragões' vêm de um empate (1-1) frente ao Gil Vicente, para o campeonato, e Sérgio Conceição garantiu que no final dessa partida "foi passada uma mensagem forte aos jogadores", que se escusou a partilhar, mas também aproveitou para renovar as críticas sobre o tempo útil de jogo.

"Empatámos aos 66 minutos, e depois jogaram-se mais três. Levei um amarelo do árbitro por perguntar como foi possível o tempo dado para os descontos. Entre os 70 minutos aos 82 minutos, jogou-se um minuto e meio. Isso faz com que a equipa adversária, a jogar em inferioridade [numérica], tenha vantagem. É uma vergonha", desabafou Sérgio Conceição.

O treinador mostrou-se, ainda, satisfeito pelo regresso, após castigo, do guarda-redes Marchesín e do defesa central Pepe, lembrando que "são duas opções válidas no grupo de trabalho"

O FC Porto joga na quarta-feira no Estádio José Alvalade, frente ao Sporting, em partida da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, que está agendada para as 20:45 e que terá arbitragem de Artur Soares Dias, da Associação de Futebol do Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de