"Nunca iria a tribunal contra o clube que amo." Messi diz que fica no Barcelona

Argentino de 33 anos garante que o presidente do Barcelona sempre lhe disse que no fim da época poderia escolher sair do clube.

A novela do mercado de transferências deste verão parece, esta quinta-feira, ter chegado a um fim. O jogador argentino Lionel Messi revelou, em entrevista ao portal goal.com, que vai representar o Barcelona na próxima época, apesar de reconhecer que transmitiu ao presidente a vontade de sair do clube em mais do que uma ocasião.

"Nunca iria a tribunal contra o Barça porque é o clube que amo, que me deu tudo desde que cheguei", explicou o jogador argentino, referindo-se à disputa judicial necessária para sair, depois de a Liga Espanhola ter dado razão ao Barcelona, alegando que só o pagamento da cláusula de 700 milhões de euros permitiria que o jogador se desvinculasse. "Nunca me passou pela cabeça levar o Barça a tribunal."

Messi adiantou que "disse ao presidente que queria sair", não apenas agora, mas "ao longo de todo o ano".

"Pensava que o meu tempo no FC Barcelona tinha, infelizmente, acabado, porque sempre quis acabar a carreira no clube. Foi um ano muito difícil, em que sofri muito nos treinos, nos jogos e no balneário", afirmou o internacional argentino.

"Eu pensei, e tinha a certeza, de que tinha a liberdade para me ir embora, o presidente sempre me disse que no fim da época podia decidir se ficava ou não", sublinha o argentino, referindo-se a Josep Maria Bartomeu.

"Agora eles agarram-se ao facto de não os ter informado antes do dia de 10 junho, isto quando a 10 de junho estavamos a competir na La Liga no meio de todo este terrível coronavírus e desta doença que alterou toda a época", lamenta o jogador.

"É por isto que vou continuar no clube. Agora vou continuar no clube porque o presidente me disse que a única forma de sair é pagar os 700 milhões de euros da cláusula e isso é impossível", nota o capitão blaugrana que tem sido associado ao Manchester City, clube orientado por Pep Guardiola.

Reconhecida a permanência no clube, Messi não se coíbe de deixar críticas à direção. "Já há algum tempo que não há projeto nem há nada, arranjam-se distrações e vão tapando buracos", critica. "Durante todo o ano disse ao presidente que me queria ir embora, que tinha chegar o momento de procurar novas ambições e de dar um novo rumo à minha carreira."

Messi, 'Bola de Ouro' em seis ocasiões e 'Bota de Ouro' noutras tantas, comunicou em 25 de agosto ao FC Barcelona a sua intenção de sair, a custo zero, não tendo iniciado os trabalhos de pré-temporada da equipa agora comandada por Ronald Koeman.

Messi mostrou a intenção de abandonar o clube dias depois do desaire por 8-2 com o Bayern Munique, nos quartos de final da 'Champions' 2018/19, e da decisão do clube em prescindir de Luis Suárez, Rakitic e Arturo Vidal.

Na última época, o FC Barcelona não conquistou qualquer troféu, o que já não acontecia desde 2007/08, num ano que começou com Ernesto Valverde ao comando e acabou com Quique Sétien.

Há duas décadas no clube, Messi é, há muito, o melhor marcador da história do FC Barcelona, com um total de 643 golos, em 731 encontros, e conquistou um total de 33 títulos pelo clube da Catalunha, incluindo quatro 'Champions'.

Desde 2004/05 na equipa principal, o argentino arrebatou ainda três edições do Mundial de clubes, três da Supertaça Europeia, 10 da Liga espanhola, seis da Taça do Rei e sete da Supertaça espanhola.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de