O outro hino da Irlanda!

Em pleno século XIX, entre 1845 e 1850, a Irlanda foi afectada por uma autêntica catástrofe. Uma doença atacou as plantações de batatas por todo o país, provocando fome no país inteiro. Naquela altura, a batata era o grande motor da economia irlandesa, e ainda a principal fonte de alimento para grande parte da população, nomeadamente os camponeses, que só comiam batatas no inverno. Esta tragédia ficou conhecida pelo nome "Grande Fome" e é um momento marcante na História da Irlanda. Estima-se que 1 milhão de pessoas sucumbiram a esta calamidade, e mais 1 milhão de pessoas emigraram. Por isso, a população daquela ilha caiu entre 20 a 25 por cento.

Apesar de quase 200 anos terem passado, a Irlanda não esquece os seus. Desde 2008, é organizado oficialmente pelo Governo irlandês o Dia Nacional da Comemoração da Fome, de modo a que a memória daqueles que pereceram jamais caia no esquecimento. Num outro prisma, em 1979, o cantor Pete St. John escreveu uma música sob o título "Os campos de Athenry". A música relata a história fictícia de Michael, um jovem que habitava no município de Galway, perto de Athenry, e que foi deportado para a Austrália, por ter roubado milho para alimentar a jovem esposa Mary e o filho de ambos. Simultaneamente, esta balada é também uma homenagem a todos os que foram afectados por esta calamidade.

Foi já no final dos anos 80, que esta música começou a ser entoada durante os jogos de hurling da equipa do Galway. O hurling é um jogo nacional irlandês de origem celta, semelhante ao hóquei. E no ano de 1990, a música ganha notoriedade global ao ser entoada pelos irlandeses nos estádios italianos durante o Mundial de futebol. A partir deste momento, adeptos de vários clubes de rugby começaram a cantar esta música em sinal de apoio às suas equipas e, inclusivamente, um grupo de fãs do Liverpool criou o "Fields of Anfield Road", com a mesma melodia. Esta música também é frequentemente cantada pelos adeptos do Celtic de Glasgow, sendo muitos deles de origem irlandesa e contando ainda o clube com uma grande falange de apoio na Irlanda. Em 1991, Pete St. John cantou "Fields of Athenry" no Celtic Park perante milhares de pessoas. Ele descreveu esse momento como um dos mais memoráveis da sua vida.

A 14 de Junho de 2012, aconteceu provavelmente a noite mais gloriosa da música "Fields of Athenry". Na Arena de Gdansk, na Polónia, a Espanha venceu a República da Irlanda por 4-0, resultado que eliminou os irlandeses do Europeu. A partir do minuto 83, momento em que Fabregas carimbou o 4-0 final, os irlandeses entoaram "Fields of Athenry", ininterruptamente, durante 8 minutos. Arsène Wenger, que comentava o jogo para uma televisão francesa, pediu aos comentadores para pararem de falar, para que os telespectadores pudessem ouvir. Na televisão alemã fizeram o mesmo. E, no final do jogo, o seleccionador espanhol Vicente del Bosque afirmou: "Hoje, os jogadores e os adeptos irlandeses mostraram-nos o que deve ser realmente este desporto."

Um momento emocionante, que perdurará por muitos anos na memória dos adeptos. E, além da homenagem aos antepassados, os irlandeses deixam também uma mensagem. Que para sabermos para onde vamos, é muito importante saber de onde vimos.

Miguel Batista (A Economia do Golo)*

Esta rubrica é uma parceria TSF e A Economia do Golo

* Nota do Editor: O autor opta por escrever ao abrigo do anterior Acordo Ortográfico.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de