"Os escritórios pararam." Como a população saudita viveu a vitória sobre a Argentina

Susana Carvalho vive na Arábia Saudita e conta à TSF como os colegas de trabalho e os filhos festejaram a vitória da seleção asiática frente à Argentina.

O rei até decretou feriado nacional. A Arábia Saudita venceu esta terça-feira a Argentina no Campeonato do Mundo de futebol e, quem vive em território saudita, conta que a população ficou em êxtase com o triunfo sobre Messi e companhia.

Susana Carvalho é investigadora na Universidade de Ciência e Tecnologia Rei Abdullah (KAUST) e, atualmente, está envolvida num projeto no Mar Vermelho. Foi daí que viu a partida.

"Durante o tempo extra que o árbitro deu, os escritórios pararam e estiveram em suspense até ao apito final. No final foi uma celebração conjunta e eu acho que aí foi muito bonito de ver os expatriados aqui na Arábia Saudita a celebrarem de igual forma e com igual entusiasmo a vitória sobre a Argentina", descreve a portuguesa.

Um dos filhos de Susana nasceu na Arábia Saudita: "É engraçado ver os nossos filhos, alguns deles que nasceram cá, juntos com os colegas sauditas e a vibrarem tanto quanto eles."

Nas ruas, a portuguesa não tem uma noção perfeita de como se terá festejado em grandes cidades, como Jeddah ou Riade.

"Eu vivo em lugares muito pequeninos, portanto, eu não tenho acesso ao que existiu, por exemplo, numa cidade como Jeddah. Mas nos nossos lugares pequeninos verificou-se isso com grande entusiasmo e com bandeiras e com celebração de uma vitória inesperada. Ninguém estava à espera que a Arábia Saudita ganhasse à Argentina", conta Susana Carvalho.

Para o futuro na competição, há já quem sonhe muito alto: "Os meus colegas sauditas já estão a pensar na vitória. Mas é de uma maneira muito relaxada e que a Arábia Saudita têm as suas limitações, mas é um povo com muita fé."

O Rei Salman da Arábia Saudita anunciou, de acordo com o Arab News, que esta quarta-feira será declarado feriado nacional após a surpreendente vitória dos sauditas frente à Argentina, por 1-2, em jogo a contar para o Mundial de 2022.

A sugestão foi feita, segundo o jornal árabe, pelo príncipe herdeiro do país, Mohammed bin Salman, e, mais tarde, aprovada pelo Rei. Todos os funcionários, dos setores público e privado e também os estudantes terão direito a usufruir do feriado.

As mulheres também já jogam futebol na Arábia Saudita

A liga de futebol feminino foi criada este ano e Susana Carvalho afirma que esse é um dos sinais que mostra que a Arábia Saudita se está a abrir ao mundo.

"Estão a mudar imenso e é interessante assistir a essas mudanças. É certo que ainda há muitas e muitas coisas, são muito diferentes da nossa cultura. Na Arábia Saudita, em muito pouco tempo, as mulheres começaram a ter acesso à educação superior, a poder conduzir, a ter efetivamente esta oportunidade de poder jogar numa liga oficial saudita de futebol", justifica a investigadora.

Susana Carvalho revela que "já há muitos clubes a jogar" e acredita que "as coisas vão mudar bastante nos próximos anos", até pela "abertura que está a acontecer ao turismo e com os projetos que estão a ser desenvolvidos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de