Os olhos do Blackburn de Shearer que sonham com a Premier League

Bruno Reis, 35 anos, observa os adversários para Tony Mowbray, o treinador do Blackburn Rovers, campeão da Premier League em 1995. Antes o português passara pelo Bolton.

Em 1995 o Blackburn levantou o caneco em Inglaterra, numa aventura que monopolizava os contos de fadas na Premier League até ao dia em que apareceu o senhor "dilly ding dilly dong": o Leicester de Ranieri. O Blackburn Rovers, um clube com três títulos e fundado em 1875, onde Nuno Gomes pendurou as botas em 2013, conta com os olhos de um português para despir os rivais. Bruno Reis é o convidado do "Treinadores Portugueses Pelo Mundo" desta semana. Veja aqui os outros episódios.

Bruno Reis é, desde novembro, o homem que diz ao treinador do Blackburn, atual líder do terceiro escalão, como jogam os rivais. Antes desta aventura no antigo clube de Alan Sherer e Chris Sutton, o português passou pelo Bolton.

"Não foi convite, concorri", começa a contar sobre a primeira passagem no Reino Unido. "Na altura tinha saído do Benfica há pouco tempo, tive uma passagem pelo União da Madeira e entretanto estava à procura da minha oportunidade em Inglaterra. Fiz alguns contactos e surgiu a oportunidade de integrar os quadros do departamento de análise do Bolton, em 2015/16. [A experiência] foi bastante positiva, a integração foi bastante fácil. Na componente profissional há questões diferentes, abordagem diferente ao jogo. São formas de trabalhar distintas e temos de nos adaptar."

Bruno Reis, que sempre teve "o bichinho para trabalhar fora de Portugal" e que na altura não aproveitou para ir ver jogos de colossos ingleses, teve de sair graças à saúde financeira do clube. "A minha saída do Bolton foi inevitável, não por mim, mas pelo clube. Estava em grandes dificuldades financeiras. O Bolton tinha descido da Premier League há uns anos, não se adaptou, se calhar, a uma maior restrição financeira e contraiu dividas enormes." Os jogadores não receberam durante algum tempo. "O clube rescindiu com 80% ou 90% de todo o staff que tinha, até a parte de observação e scouting."

Portugal voltou a estar no mapa, acabando por representar Pinhalnovense e Torrense. Depois, um ex-colega passou a liderar o departamento de análise do Blackburn Rovers e ligou-lhe. "Uma das pessoas que estava no clube saiu para o Newcastle e, perante essa vaga, perguntou-me se estava interessado e eu disse que sim."

Bruno Reis diz que se sente muito bem a grandeza do Blackburn, um clube com três medalhas da Premier League no bolso. "Até no respeito e na forma como os adversários nos encaram", diz, informando também que há muitos adeptos a acompanhar a equipa, até em jogos a "três, quatro horas" de casa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados