Pandemia custou 200 milhões em vendas ao Benfica

Luís Filipe Vieira garante que, apesar da pandemia, não irá "vender jogadores ao desbarato".

A pandemia de covid-19 impediu que o Benfica encaixasse 200 milhões de euros (ME) com a venda de dois futebolistas do plantel principal, revelou hoje o presidente dos "encarnados', assegurando que não vai "vender jogadores ao desbarato".

"Nunca iremos vender jogadores ao desbarato. Os jogadores têm um preço. Se for preciso, o Benfica vai recorrer a um ou dois empréstimos obrigacionistas. A solução ideal é não haver mais paragens de campeonato e o Benfica conseguirá encontrar o seu caminho", afirmou Luís Filipe Vieira, em entrevista à BTV.

O líder do clube da Luz advertiu que, perante os problemas decorrentes da pandemia, a gestão tem de ser feita "dia a dia" e que "à data de hoje, o Benfica não precisa de vender jogadores", revelando que, em janeiro, rejeitou uma proposta pelo avançado brasileiro Carlos Vinícius e que, se não fosse a crise mundial de saúde pública, as "águias' tinham garantidos 200 ME na venda de dois jogadores.

"Recebei uma proposta de 60 ME pelo Vinícius e não vendemos, em janeiro. Não digo de quem era a proposta. E se não fosse a pandemia, o Benfica teria garantidas vendas de 200 ME com dois jogadores, 100 cada um", transmitiu.

Mesmo perante os desafios financeiros criados pela covid-19, Vieira assegurou que não vai baixar ordenados, recorrer a um "lay-off' ou despedir funcionários, sendo que o Benfica tem "uma situação que lhe permite estar preparado para os próximos cinco meses", ainda que já esteja a perder entre 20 e 25 ME em receitas nesta fase.

O recente "chumbo' da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre uma percentagem da SAD do Benfica também foi abordado por Vieira, que garantiu que "o Benfica foi completamente transparente com a CMVM [Comissão do Mercado de Valore Mobiliários] em toda a informação".

Por outro lado, o presidente das "águias' voltou a reforçar a aposta na formação, mostrando-se indisponível para vender Florentino ou Jota e confirmando que Diogo Gonçalves e Nuno Santos, emprestados a Famalicão e Moreirense, respetivamente, vão integrar os trabalhos de pré-época da equipa principal.

Um eventual regresso de David Luiz à Luz não deverá suceder a curto prazo, segundo Vieira, desde logo porque "é impensável o Benfica pagar" o que o central brasileiro recebe no Arsenal. Ainda assim, Luís Filipe Vieira admite que David Luiz poderá voltar ao Benfica "em determinadas condições", tal como sucedeu com Rui Costa, em 2006.

O líder dos "encarnados' considerou que "se o Benfica tivesse a capacidade financeira de outros clubes", seria possível resgatar alguns dos jovens que saíram da Luz nas últimas temporadas e que têm vincado, sucessivamente, a vontade de voltar ao clube, como são os casos de Renato Sanches, Bernardo Silva, Nélson Semedo ou Gonçalo Guedes.

Sem revelar o nome do jogador, Vieira deixou uma garantia: "Há um jogador que já disse que, quando terminar o contrato com o atual clube, vai voltar ao Benfica. Nessa altura, terá 27 anos. E esse vai voltar mesmo. Isso deixa-me muito feliz. É sinal de que os jogadores sentem uma família dentro do Benfica."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de