Pandemia de Covid-19. Setor do futebol em Portugal pede respostas urgentes

Em entrevista à TSF, Pedro Dias, diretor da Federação Portuguesa, aponta um estudo da UEFA para mostrar a importância financeira e económica da modalidade.

É urgente uma resposta para o setor do futebol em Portugal, perante a crise da pandemia de Covid-19. Em entrevista à TSF, Pedro Dias, diretor da Federação Portuguesa de Futebol, relembra que está em discussão pública o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com fundos europeus.

Um estudo da UEFA revela que o futebol tem, em Portugal, um impacto de 1,67 mil milhões de euros por época desportiva. A pesquisa destaca a dimensão económica, mas também contabiliza o impacto social e as poupanças na saúde deste desporto.

Pedro Dias, diretor da Federação Portuguesa de Futebol e responsável por este trabalho de recolha em Portugal, explica que estes números mostram a urgência de respostas face à crise provocada pela pandemia.

"É naturalmente uma chamada de atenção e naturalmente que os governantes do nosso país vão ter esse aspeto em consideração e vão considerar o desporto, dada a sua relevância, naquelas que são as medidas extraordinárias de apoio à retoma da prática desportiva no nosso país", afirma.

Grande parte dos 1,67 mil milhões de euros diz respeito ao futebol praticado por jovens até aos 18 anos. Pedro Dias refere que "75% da totalidade deste número são crianças e jovens que estão sem prática desportiva à uma época e meia e com todo o prejuízo que essa ausência de prática desportiva regular nos traz".

O diretor da Federação Portuguesa de Futebol lembra que estes jovens estão parados desde março do ano passado, com a suspensão de treinos e competições. Sobre os impactos da ausência da atividade física regular, Pedro Dias admite: "Sabemos dos benefícios que isto tem para a nossa sociedade, se associarmos o aspeto social e da saúde ao aspeto financeiro que é um aspeto também muito relevante, naturalmente que teremos que estar muito preocupados porque os impactos são impressionantes."

Numa comparação com outros países, Portugal destaca-se no impacto por cada praticante: com 225 mil atletas federados, Portugal é o terceiro entre 22 países da Europa no valor de impacto económico, social e na saúde.

"Estamos a falar de aproximadamente 7400 euros por jogador, por época desportiva", adianta, acrescentando que "são factos que nos devem fazer refletir e nomeadamente devem fazer refletir as pessoas com responsabilidade, naturalmente, na tomada de decisão porque é um setor muito relevante".

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol na última Audição Pública da Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, exigiu o regresso das atividades nos escalões de formação, relembrando que o desporto "ainda não recebeu um cêntimo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de