FC Porto vence (3-1) Gil Vicente e lidera Liga

O FC Porto deu a volta ao marcador e venceu o Gil Vicente, por 3-1, colocando-se provisoriamente no comando da Liga portuguesa de futebol, com seis pontos, no jogo que abriu a segunda jornada.

O FC Porto venceu o Gil Vicente, por 3-1, com dois golos de Hulk e um de Sapunaru, em jogo referente à segunda jornada da Liga de futebol, em que esteve em desvantagem a partir do terceiro minuto.

Hugo Vieira, na conversão de uma grande penalidade colocou o Gil Vicente a vencer no Dragão, mas Hulk, aos 11, também de castigo máximo, e aos 50 e Sapunaru, aos 16, estabeleceram o resultado final.

Em equipa que ganha não se mexe e foi o que os dois técnicos fizeram: o FC Porto repetiu o "onze" que bateu fora Vitória de Guimarães na ronda inaugural, por 1-0, e o Gil Vicente fez o mesmo com a equipa que empatou em casa com o Benfica, por 2-2.

O primeiro jogo da era "pós-Falcao", que já enverga as cores do Atlético Madrid, até começou da pior forma para o FC Porto, devido grande penalidade convertido por João Vilela.

O lance nasceu de uma perda de bola de Sapunaru, que Hugo Vieira aproveitou para converter numa descida rápida à área do guarda-redes Helton, resolvida por uma entrada faltosa de Otamendi.

A vantagem do Gil Vicente durou pouco uma vez que Hulk, aos 10 minutos, também na transformação de uma grande penalidade a castigar falta de João Vilela, empatou 1-1, provocando uma explosão de alegria no Dragão.

A reviravolta do FC Porto foi consumada aos 16 minutos por Sapunaru (2-1), com um cabeceamento na sequência de um canto de Hulk, em que o romeno se redimiu do erro cometido no lance do golo do Gil.

Os gilistas, tirando partido da insegurança defensiva demonstrada pelos da casa, voltaram a criar perigo por Hugo Vieira, aos 22 minutos, através de um remate em zona central que falhou por pouco a baliza de Helton.

A evidenciar alguma intranquilidade, nomeadamente ao nível de posse de bola e do passe, o FC Porto sentiu sempre sérias dificuldades em travar a ousadia do Gil Vicente e demorou a assentar o seu jogo.

Aos 33 minutos, a passe de Hulk, Kléber falhou a baliza do Gil Vicente e aos 38 foi a vez de Varela, alegadamente impedido dentro da área, reclamar pela marcação de uma grande penalidade que Rui Silva não considerou.

Ainda antes do intervalo, e com o minuto de desconto a decorrer, Gurin obrigou o guarda-redes Adriano Fachini a uma defesa de dificuldade superior, na sequência de um livre direto em posição frontal.

A segunda parte principiou praticamente com o FC Porto a elevar a vantagem para 3-1, com novo golo de Hulk, aos 50 minutos, na marcação de um livre directo à entrada da área do Gil Vicente.

Aos 52 minutos, o FC Porto voltou a criar perigo através de um cabeceamento de Kléber, a centro de Hulk, e aos 62, Guarin, lançado por João Moutinho, não conseguiu chegar à bola antes do guarda-redes Adriano.

Mesmo sem dominar, o FC Porto foi controlando o jogo a seu belo prazer e aos 80 minutos, Djalma e Belluschi protagonizam uma jogada de belo efeito, terminada com um remate do angolano defendido por Adriano.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de