Portugal pode afirmar-se na Rússia e no Mundo

Entrevistado pela agência Lusa o embaixador de Portugal na Rússia explica como está a diplomacia portuguesa a viver estes dias que antecedem o início do campeonato do mundo.

O embaixador de Portugal na Rússia, Paulo Vizeu Pinheiro, considera que o Mundial de futebol de 2018, que começa na quinta-feira, é uma excelente oportunidade para o país se afirmar no Mundo e na Rússia.

"O mundial é a oportunidade para mostrarmos um Portugal moderno, competitivo e acolhedor, e que somos uma ligação não só à comunidade lusófona, mas com muitos outros países com quem temos relações privilegiadas", sintetizou.

Em declarações à Lusa, o diplomata defende que esta é também uma chance para Portugal "ser um parceiro singular na diversificação económica e na modernização económica da Rússia".

Em conjuntura de crescente tensão entre a Rússia e o mundo ocidental, Portugal é visto no anfitrião do Mundial como um "país amigo", considerando que isso se deve ao facto das autoridades lusas terem mantido uma atitude coerente e promovido um excelente trabalho para salutares relações institucionais.

"Estamos a viver um bom momento, não obstante os condicionalismos conhecidos internacionais, no quadro da União Europeia e da NATO. Portugal tem defendido que as dificuldades sejam resolvidas pelo diálogo e cooperação", justificou.

Aos adeptos portugueses que vieram ao Mundial, garante que a Rússia é "segura" e que os visitantes vão descobrir um "país moderno, com boas infraestruturas e uma grande potência em vários domínios, incluindo o cultural".

O embaixador português na Rússia está confiante no êxito da seleção lusa no Mundial2018, reforçando essa esperança com o apoio dos russos.

Paulo Vizeu Pinheiro garante uma vantagem extra para a equipa das 'quinas', considerando que esta vai ter o apoio dos russos, à semelhança do que aconteceu na Taça das Confederações de 2017, concluída com o terceiro lugar.

"Os russos apoiaram muito a nossa seleção nos jogos em que não atuavam, quando Portugal defrontava um país grande. Depois do embate em que lhes ganhámos, a maior parte dos adeptos russos - e das pessoas na rua - estavam a torcer por Portugal. Pode ser um aliado", contou.

Certo é que se Portugal for campeão do Mundo, a 15 de julho, dia da final, será "feriado" na embaixada de Moscovo: "Aqui será de certeza. Será um dia de grande celebração, espero que não inferior à da nossa vitória no Europeu".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados