Prata mundial em K1 500 "sabe quase a ouro", diz canoísta João Ribeiro

João Ribeiro terminou a sua regata em 1.39,88 minutos, ficando a 1,01 segundos do título mundial.

O canoísta João Ribeiro disse este domingo que a medalha de prata em K1 500 metros dos Mundiais de Copenhaga "quase sabe a ouro", recordando que durante a época não treina a embarcação a solo.

"Sabe quase a ouro. Durante o ano não treino K1, só K4 que preparámos para os Jogos Olímpicos. Eu e o meu treinador [Rui Fernandes] tivemos um mês para nos prepararmos e é muito difícil fazê-lo neste tempo. A experiência no Campeonato da Europa ajudou-me bastante", disse João Ribeiro, que foi igualmente prata nesse evento.

Ribeiro terminou a sua regata em 1.39,88 minutos, ficando a 1,01 segundos do título mundial, conquistado pelo bielorrusso Mikita Borykau. O alemão Moritz Florstedt gastou mais 1,17 segundos do que o vencedor e ficou com o bronze.

"Só no fim vi que tinha ficado em segundo. Queria muito ganhar, como é óbvio, tinha como objetivo ser campeão do Mundo. Não foi possível, fico contente com o 'vice'. Foi mais uma medalha para Portugal", acrescentou.

A sua medalha, que contribui para o que já é recorde de Portugal de quatro pódios em Mundiais, faz com que João Ribeiro assuma que a canoagem portuguesa é "muito mais" do que Fernando Pimenta.

"Ele é o expoente máximo da nossa modalidade, o melhor atleta de Portugal na canoagem. Já o provou várias vezes e continua a fazê-lo, mas há muito mais do que o Fernando. Temos atletas com grandes resultados, com presenças assíduas em finais mundiais", justificou.

Agora, João Ribeiro vai de férias e no fim sabe que regressará para "um grupo mais alargado a lutar por um lugar no K4 500" de Portugal, manifestando a vontade de "ajudar e ser mais uma opção para Portugal".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de