Presidente da câmara de Paris contra patrocínio da Airbnb aos Jogos Olímpicos

Anne Hidalgo está preocupada com o "aumento dos preços dos alugueres" na capital francesa.

A presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, alertou esta segunda-feira o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) sobre os "riscos e consequências" dos Jogos Olímpicos terem como patrocinador a plataforma de aluguer de alojamentos Airbnb.

Numa carta, à qual a agência AFP teve acesso, Anne Hidalgo, diz a Thomas Bach que "ao subtrair uma quantidade significativa de moradias de Paris, o Airbnb é um fator de aumento dos preços dos alugueres, penalizando todos os parisienses, em particular a classe média".

A autarca de Paris, que está na corrida para a reeleição, está empenhada em obter regras que regem as plataformas de aluguer, admitindo mesmo a possibilidade de as proibir.

Acordo válido por cinco edições

O COI e a plataforma de aluguer de alojamentos Airbnb anunciaram uma parceria para os próximos nove anos, que pretende criar um novo padrão de hospedagem, beneficiando cidades-sede, atletas, espetadores e fãs.

De acordo com o organismo olímpico, a parceria, que abrangerá cinco edições de Jogos Olímpicos, "visa promover os objetivos de sustentabilidade do Movimento Olímpico, de acordo com a Agenda Olímpica de 2020, as estratégias futuras a serem desenvolvidas pelo COI, e o objetivo da Airbnb de fomentar um turismo sustentável".

A parceria, que torna a Airbnb uma das principais patrocinadoras do COI vigorará nos Jogos Olímpicos de Verão Tóquio2020, Paris2024 e Los Angeles2028, e os Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022 e Milão-Cortina2026.

Em comunicado, o COI explica que o acordo inclui medidas específicas sobre alojamento, que implicam uma redução de custos para os organizadores e para as entidades participantes nos Jogos Olímpicos, reduz a necessidade de construção de novas infraestruturas para o período dos Jogos, e gera rendimento, que terá um impacto direto nos anfitriões e nas comunidades locais.

A plataforma vai também promover, em conjunto com o Comité Paralímpico Internacional (IPC), a existência de alojamentos acessíveis a pessoas com deficiência e que incluam outros requisitos de acessibilidade.

O COI e a Airbnb também vão também proporcionar aos atletas a oportunidade de obterem rendimentos económicos extra, através da iniciativa Experiências Olímpicas, a lançar no início de 2020, e que vai permitir que desportistas profissionais do mundo inteiro beneficiem economicamente de uma atividade enquanto anfitriões.

Como parte do acordo, o COI vai disponibilizar aos atletas que competem nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, alojamentos na plataforma Airbnb no valor de, pelo menos, 28 milhões de dólares (cerca de 25 milhões de euros) para as viagens relacionadas com a competição e os treinos.

O presidente do COI, considerou "a parceria inovadora no apoio às estratégicas para garantir uma que uma organização eficiente e sustentável dos Jogos Olímpicos tem um impacto positivo na nossa comunidade de anfitriões".

Thomas Bach referiu ainda que, "com o apoio da Airbnb, o COI vai também proporcionar novas oportunidades aos atletas de todo o mundo, para que criem as suas próprias fontes de rendimento, através da promoção da atividade física e dos valores olímpicos".

Kirsty Coventry, presidente da Comissão de Atletas do COI, saudou a parceria, considerando que esta "beneficia diretamente os atletas, incluindo oportunidades de rendimento direto ao partilharem a sua paixão pelo desporto através das novas Experiências Olímpicas na Airbnb, assim como o apoio direto às suas necessidades de alojamento".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados