Primeiro treinador de Bah garante que Benfica encontrou alvo perfeito para Schmidt

Henrik Lehm guarda a camisola da seleção da Dinamarca com que Alexander Bah se estreou na equipa principal. O treinador que lançou o jogador desejado pelo Benfica recorda, na TSF, um dos atletas que marcaram a sua carreira de 42 anos no futebol profissional.

Tudo começou com uma camisola nove. O lateral que o Benfica pretende contratar ao Slavia de Praga jogava como avançado centro no início de carreira como jogador sénior, conta o primeiro treinador de Alexander Bah, Henrik Lehm. Dos escalões mais baixos do futebol dinamarquês, ao serviço do Naesby BK, até aos relvados da primeira liga da Dinamarca, no Koge e no SönderjyskE, seguiu-se um salto seguinte para a República Checa, onde tem impressionado como lateral.

O experiente treinador dinamarquês orientou Alexander Bah no início da carreira do jogador. "Fui treinador profissional durante 42 anos, conheci muitos jovens, mas o Alexander foi um dos melhores rapazes que conheci, mesmo fora do campo. Recordo-me de que, após o primeiro jogo dele pela seleção da Dinamarca, foi ao meu gabinete, entrou por ali dentro com a camisola do jogo para me oferecer". Mas a estreia pela seleção era apenas mais um passo no percurso.

Alexander Bah chegou ao Naesby depois de ser recusado por clubes de maior nome. "Fisicamente diziam que lhe faltava força e altura. Quando o orientei já tinha um corpo de atleta", explica o antigo treinador. "Adaptou-se sempre muito rapidamente aos novos contextos. Foi sempre assim ao longo da carreira, desde os sub-19 até à primeira divisão na Dinamarca, e mesmo na República Checa", concretiza Henrik Lehm, treinador que assume que nunca perdeu o contacto com o jogador.

Se Roger Schmidt pede aos jogadores das suas equipas uma grande disponibilidade para a pressão, um ritmo de jogo enérgico, que busca o protagonismo e a vertigem, Henrik Lehm compreende a opção do Benfica por este lateral. Longe vão os dias de fragilidade física.

"Acho que pode funcionar 100% de acordo com as ideias de Roger Schmidt. É forte na pressão. Quando jogava como ponta de lança era capaz de condicionar sozinho toda a linha defensiva adversária. É extraordinário sem bola, por isso, se é esse o tipo de jogador que procuram, acho que é perfeito. Alexander foi rejeitado quando jovem por vários clubes por ser baixo e frágil. Quando o encontrei, o corpo dele já estava preparado para o jogo. É fantástico para um futebol de pressão alta, com grande rotação, perfeito nesse aspeto", insiste.

"É um jovem que adora vencer, que odeia perder, mas o que tem de melhor é a capacidade de adaptação. Se for para Portugal vai adaptar-se rapidamente, porque ninguém pode parar um jogador com capacidade física, tanta potência e uma mentalidade fantástica", vaticina o antigo técnico.

As portas da seleção dinamarquesa já se abriram para Alexander Bah em três ocasiões. "Para o próximo Mundial - Qatar 2022, em novembro - penso que fará parte do grupo. Mas depois do Mundial, na construção de uma nova equipa, acredito que vai estar sempre entre as opções. Para já, acredito que a seleção vai apostar em jogadores mais experimentados, mas ainda assim acredito que vai estar na equipa para o Mundial", um sinal para o Benfica, que deve antecipar o investimento no atleta, antes da valorização internacional.

Alexander Bah tem contrato até 2025 com o Slavia de Praga. O Benfica está a negociar a contratação do jogador para concorrer com as atuais soluções no plantel, André Almeida ou Gilberto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de