PSP garante que está "mais proativa" sobre incidentes nos recintos desportivos

Em declarações à TSF, Roberto Domingues, coordenador do ponto nacional de informações da Polícia de Segurança Pública, confirmou que o "maior conhecimento das dinâmicas" permite à PSP "atuar de forma proativa e detetar as infrações, crimes e os incidentes que decorrem", o que pode "fazer aumentar o número de incidentes" registados.

"A PSP está muito mais proativa" e "tem estado a acompanhar" os casos de racismo nos recintos desportivos de "forma mais próxima", garante Roberto Domingues, coordenador do ponto nacional de informações da Polícia de Segurança Pública, em declarações à TSF.

O "maior conhecimento das dinâmicas" permite à PSP "atuar de forma proativa e detetar as infrações, crimes e os incidentes que decorrem", mas "de forma mais célere", o que pode, segundo Roberto Domingues, "fazer aumentar o número de incidentes", como demonstra o mais recente Ponto Nacional de Informações sobre o Desporto (PNID).

De agosto até dezembro de 2021, a PSP, com o PNID, registou 64 ocorrências de incitamento à violência, racismo, xenofobia, intolerância ou ódio, do qual resultaram 77 adeptos detidos, 312 identificados e 50 expulsos.

Sobre os adeptos denominados casuals, a PSP diz que "sempre que surge algo novo" é algo que interessa à instituição e, por isso, tentam "um acompanhamento efetivo" do fenómeno.

Contudo, alertam para o facto de não se tratar de algo "novo" e Roberto Domingues refere que a PSP já tem "vários anos de experiência no que concerne ao acompanhamento desta subcultura de adeptos".

O coordenador do ponto nacional de informações da Polícia de Segurança Pública concluiu que "através das unidades de informações desportivas espalhadas por todo o país", a PSP faz, cada vez mais, um maior acompanhamento aos incidentes no futebol.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de