Rali Vinho da Madeira: Alexandre Camacho conquista proeza inédita

A dupla Alexandre Camacho/Pedro Calado venceu o Rali Vinho da Madeira, prova em que os pilotos insulares e a Skoda conquistaram uma dobradinha, graças ao 2.º lugar de Miguel Nunes/Roberto Castro. Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroën C3) foram a melhor dupla em termos de Campeonato de Portugal de Ralis (CPR) e completaram o pódio.

Ao triunfar na 63.ª edição do Rali Vinho da Madeira, Alexandre Camacho cometeu proeza inédita: foi o primeiro piloto a somar cinco triunfos na prova.

A vitória do piloto madeirense começou a desenhar-se na secção matinal da etapa derradeira. Troço a troço, Alexandre Camacho foi encurtando a diferença para Bruno Magalhães, que começara o dia com uma vantagem de 19,2 segundos. A opção menos feliz na escolha de pneus acabou por prejudicar o desempenho do piloto do Hyundai.

O momento-chave aconteceu na passagem inicial pela classificativa de Rosário, quando Alexandre Camacho reconquistou a liderança perdida na véspera.

«Não estava à espera que tal acontecesse logo na secção da manhã. Foi espetacular», reconheceu, sublinhando que «nunca desisto e foi lutar enquanto houvesse estrada para andar»,

O piloto madeirense reconheceu «ter sido psicologicamente difícil enfrentar a situação causada pelos 19 segundos. Por tudo o que nos aconteceu, na véspera, esta vitória teve significado especial, foi a cereja no topo do bolo»

Decisão polémica

A situação referida por Alexandre Camacho teve origem, na 1.ª etapa, no acidente do espanhol Alejandro Cachón em Palheiro Ferreiro-2: o Citroën C3 ficou a obstruir parcialmente a estrada, mas nem piloto, nem navegador mostraram as placas de SOS ou de OK!. Miguel Nunes abrandou, tal como todos os restantes pilotos, à exceção de Alexandre Camacho, que manteve o andamento e venceu a classificativa.

No final do dia, o Colégio de Comissários Desportivos analisou o caso e decidiu adicionar 11,3 segundos ao tempo averbado por Alexandre Camacho, ou seja, atribuiu-lhe o crono registado por Miguel Nunes no troço. Assim, a diferença entre Camacho e o líder passou a ser de 19,3 segundos e não 8,0 segundos.

Miguel Nunes fez o pleno na 2.ª etapa

Na 2.ª posição terminou outro dos protagonistas deste rali: Miguel Nunes, vencedor de 11 das 17 especiais, tendo cometido a proeza de ganhar todas as classificativas da 2.ª etapa, marcada pela desistência de Bruno Magalhães. O piloto do Hyundai ocupava a vice-liderança, a 7,8 segundos do topo, mas o cubo de uma roda cedeu e a desistência foi inevitável na antepenúltima especial.

O pódio ficou completo com a dupla do Citroën C3, vencedora em termos de CPR. Um resultado com sabor a pouco para José Pedro Fontes:

«Vim para tentar lutar pela vitória, mas vinte segundos perdidos em duas classificativas na primeira etapa colocaram-nos fora da discussão pelo triunfo». Apesar de tudo, Fontes sublinhou que «tivemos bom ritmo e a equipa está de parabéns, pois estamos bastante mais perto de lutar pela vitória neste rali tendo como comparação os últimos anos».

De qualquer modo, «foi um triunfo agridoce, pois gosto de ganhar na estrada e foi pena o que aconteceu ao Bruno Magalhães».

Em termos de CPR, Armindo Araújo, 4.º da geral, alcançou mais um excelente resultado (2.º entre os concorrentes do CPR), o que coloca o piloto do Skoda Fabia às portas da reconquista do título, após uma atuação pendular.

Em tempo de regresso e a correr em casa, Bernardo Sousa conduziu o Citroën C3 ao 5.º lugar.

Classificação final (oficiosa)

1.º Alexandre Camacho/Pedro Calado (Skoda Fabia), 1.58.36,7 horas

2.º Miguel Nunes/Roberto Castro (Skoda Fabia), a 11,5 segundos

3.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3), a 22,1 segundos

4.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda Fabia), a 53,5 segundos

5.º Bernardo Sousa/Vítor Calado (Citroen C3), a 2.10,7 minutos

6.º Miguel Correia/Jorge Carvalho (Skoda Fabia), a 2.25,5 minutos

7.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Hyundai i20), a 2.35,2 minutos

8.º Simone Campedelli/Tania Canton (Citroën C3), a 3.14,9 minutos

9.º Paulo Meireles/Marco Gonçalves (Hyundai i20) a 5.16,5 minutos

10.º Paulo Neto/António Costa (Skoda Fabia), a 6.25,7 minutos

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de