Reviravolta garante terceiro lugar da CAN aos Camarões de António Conceição

Seleção anfitriã esteve a perder por 3-0, empatou o jogo e levou-o aos penáltis, que venceu.

A seleção dos Camarões, treinada por António Conceição, assegurou este sábado, em Yaoundé, o terceiro lugar da CAN2021, com uma impressionante reviravolta frente ao Burkina Faso, recuperando de três golos de desvantagem para 3-3 e vitória nos penáltis.

Vincent Aboubakar, antigo jogador do FC Porto, foi o homem do jogo, já que marcou o segundo e terceiro dos golos camaroneses nos últimos cinco minutos da partida, contribuindo depois com a primeira grande penalidade convertida no desempate que terminou com 5-3.

Aboubakar começou por ser 'poupado' na partida, que iniciou no banco de suplentes, mas, ao intervalo, e já a perder por 3-0, António Conceição decidiu recorrer ao goleador máximo da seleção, que já levava seis golos no torneio.

Com os dois de hoje, passa a ter oito, sendo seguido pelo compatriota Toko Ekambi, que tem cinco, pelo que não é crível que o senegalês Sadio Mané, que tem três, ou o egípcio Mohamed Salah, que tem dois, consigam recuperar na final de domingo a desvantagem pela 'corrida' para melhor marcador da CAN2021.

A jogar 'em casa', no estádio Ahmadou Ahidjo, os Camarões conseguem assim uma pequena compensação pela meia-final perdida ante o Egito, de Carlos Queiroz, igualmente decidida nas grandes penalidades.

Finalista em 2013 e terceiro em 2017, esta última sob o comando do luso Paulo Duarte, o Burkina Faso confirmou ser um adversário sempre difícil, mas ninguém esperava que conseguisse chegar aos 70 minutos a vencer por 3-0, ante a mais titulada seleção a seguir ao Egito (cinco vitórias) e ainda para mais com a vantagem de jogar perante o seu público.

Os burquinenses marcaram na primeira ocasião que tiveram, aos 24 minutos por Steve Yago, a corresponder a um centro de Issa Kaboré.

O 2-0 chegou aos 43 minutos, com um improvável erro do guarda-redes Onana, a desviar para as suas redes um centro aparentemente sem perigo de Kaboré.

O marcador ganhou contornos de humilhação aos 49 minutos, quando Djibril Ouattara aumentou para 3-0.

Depois, foi a incrível reação camaronesa, já com Aboubakar na equipa, totalmente balanceada para o ataque.

Stéphane Bahoken iniciou a recuperação, aos 72 minutos, antes de Aboubakar bisar na partida, aos 85 e 87, só não fazendo pouco depois a reviravolta total porque viu um golo ser anulado.

O goleador dos sauditas do Al Nassr e da seleção dos 'Leões Indomáveis' bateu depois o primeiro penálti, iniciando uma série de cinco sem mácula para os Camarões.

Por outro lado, Onana redimia-se e desviava o remate de Ibrahim Touré, com o marcador a fechar em 5-3 para os locais.

No domingo, também em Yaoundé, joga-se a final da prova, que vai opor o Egito, treinado pelo português Carlos Queiroz, ao Senegal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de