Rúben Amorim admite que apoio dos adeptos é importante mas pede frieza

Técnico leonino reconheceu que "as pessoas falam na rua" sobre a possibilidade de o Sporting chegar ao título e que "existe essa pressão", além de "muita ansiedade dos sportinguistas".

O treinador do Sporting, Ruben Amorim, admitiu esta sexta-feira que a dinâmica de apoio dos adeptos antes dos jogos da I Liga de futebol é importante, mas pediu frieza e foco na partida de sábado, frente ao Nacional.

Em Alcochete, o técnico leonino reconheceu que "as pessoas falam na rua" sobre a possibilidade de o Sporting chegar ao título e que "existe essa pressão", além de "muita ansiedade dos sportinguistas", mas lembrou que tudo pode mudar em função dos resultados.

"Nós, enquanto jogadores e estrutura, temos de levar isso como o carinho deles. Mas também saber que isto muda em relação aos resultados. O que é carinho hoje, amanhã pode ser outra coisa. Está tudo muito ligado e os resultados é que são importantes", advertiu.

Por isso, afirmou que "o foco" da equipa deve estar unicamente em "ganhar ao Nacional" e no que é preciso fazer para isso, sem descartar, no entanto, o apoio que tem chegado à equipa, por parte dos adeptos, num ano em que todos os jogos foram disputados à porta fechada devido à pandemia de Covid-19.

"Obviamente que o apoio dos adeptos é importante, dá força, mas temos de nos abstrair um bocadinho disso, temos de ser frios, sabendo que vamos defrontar uma equipa que nos pode ganhar. Esse é o principal foco, agradecer aos adeptos o apoio, mas pensar no jogo e no que temos de fazer para ganhar ao Nacional", vincou.

Sobre o adversário de sábado, o técnico lembrou que nos últimos dois jogos causou "muitas dificuldades" ao FC Porto e ganhou ao Vitória de Guimarães, mas assegurou que o Sporting quer levar o jogo para a sua zona de conforto.

"Temos de ter muita atenção à velocidade na frente. Obviamente, o Nacional vai dar-nos a iniciativa, temos de estar muito concentrados no jogo, ter atenção às bolas paradas e transições, porque é nisso que vão apostar. Portanto, estudámos o Nacional e estamos preparados para o jogo", garantiu.

No entanto, há nove jornadas que os leões não conseguem vencer por mais do que um golo de diferença, algo que para Ruben Amorim "revela a qualidade das outras equipas e dos outros treinadores".

O técnico repetiu que nos últimos jogos a equipa fez "mais remates" e esteve "mais perto do golo", mas a bola "não entrou" e isso, admitiu, cria "alguma ansiedade", mas lembrou que não é apenas o Sporting que está a marcar menos golos nesta fase da época.

"As outras equipas que estão a lutar pelos mesmos objetivos também têm feito menos golos nesta fase. Claro que num jogo ou outro, houve equipas a jogar contra 10 que fizeram mais golos, mas todos têm tido dificuldades para fazer golos", frisou.

O Sporting recebe o Nacional da Madeira no sábado, às 20:30, em partida da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol na qual os 'leões' vão entrar em campo já a conhecer o resultado do seu mais direto perseguidor, o FC Porto, que defronta hoje o Famalicão.

O técnico não pode contar com o guarda-redes Adán e o defesa central Gonçalo Inácio, ambos castigados, além de Tiago Tomás que, para além de castigado, recupera de uma lesão no tornozelo. Tabata também está fora das opções do técnico por lesão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de