"Se FC Porto fosse empresa comercial já teria fechado." Situação financeira é "dramática"

José Fernando Rio e Nuno Lobo candidatam-se ao lugar de Pinto da Costa, que volta a estar na corrida pela liderança do FC Porto.

José Fernando Rio é um dos candidatos à presidência do FC Porto e a situação financeira do clube, que descreve como "dramática", é o maior motivo de preocupação do jurista de 51 anos.

"Estou assustadíssimo com a situação financeira do FC Porto, é dramática e pode pôr em causa a grandeza do FC Porto como nós o conhecemos", considera o candidato a substituir Pinto da Costa, esclarecendo os números: "O FC Porto tem um passivo acumulado de 444 milhões de euros, uma dívida de 250 milhões de euros, um prejuízo de 52 milhões".

Fernando Rio cita o último relatório de contas para realçar que "o FC Porto está em falência técnica, os seus ativos são inferiores ao seu passivo". "Se o FC porto fosse uma empresa comercial ou industrial já teria fechado portas, só que é um clube de futebol, um clube importante e conseguirá sobreviver", aponta o também comentador do canal de televisão do clube.

Uma das listas programáticas de José Fernando Rio é o combate ao Benfica e à forma como influencia a sociedade. "O Benfica tem de ser combatido. O Benfica tem uma influência nefasta sobre o futebol português e sobre toda a sociedade em geral, sobre o poder judicial, político", ressalva o candidato.

"O Benfica tenta dominar e estender os seus tentáculos a todas as instituições e tem conseguido, o campo está minado e o combate tem de ser feito com determinação", acrescenta.

A propósito da presença de Rui Moreira na lista de Pinto da Costa, o candidato considera que o Conselho Cuperior do clube não é mais que uma feira de vaidades.

A TSF convidou os três candidatos à presidência do Futebol Clube do Porto para entrevistas, antes das eleições do próximo fim de semana, só Jorge Nuno Pinto da Costa recusou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de