"Se o vírus não vai ao Zlatan, o Zlatan vai ao vírus." Ibrahimovic ajuda hospitais em Itália

O jogador do AC Milan, de 38 anos, sublinhou que este é um tema sério e que precisa de "toda a ajuda".

O futebolista internacional sueco Zlatan Ibrahimovic decidiu angariar fundos para os hospitais Humanitas, em Itália, ajudando no combate à pandemia da Covid-19 num dos países mais afetados, anunciou esta quarta-feira o avançado ao AC Milan.

"A Itália sempre me deu tanto e, neste momento dramático, quero devolver ainda mais a este país que tanto amo. Decidi, juntamente com as pessoas que trabalham comigo, criar um fundo para os hospitais Humanitas e usar o meu poder de comunicação para espalhar a mensagem", referiu o jogador, na conta oficial na rede social Instagram.

Italy has always given me so much and, in this dramatic moment, I want to give back even more to this country that I love. I decided, together with the people who are working with me, to create a fundraiser for Humanitas hospitals and to use my communication power to spread the message wider. It"s a serious issue and we need a concrete help that"s not just about a video. I count on the generosity of my colleagues, of all professional athletes and of those who want to make a small or large donation according to their possibilities, to kick this virus away. Together we can really help hospitals and doctors and nurses who selflessly work every day to save our lives. Because today we are the ones cheering for them! Let"s together kick the CoronaVirus away and win this match! And remember: if the virus don"t go to Zlatan, Zlatan goes to the virus! Link in bio

Uma publicação partilhada por Zlatan Ibrahimović (@iamzlatanibrahimovic) a

O jogador do AC Milan, de 38 anos, sublinhou que é um tema sério e que precisa de "toda a ajuda".

"Conto com a generosidade dos meus companheiros, de todos os atletas profissionais e com aqueles que queiram fazer uma pequena ou grande doação, de acordo com as suas possibilidades, para chutarmos daqui para fora o vírus", acrescentou.

O futebolista considerou que todos juntos podem "ajudar hospitais, médicos e enfermeiras", que trabalham todos os dias para salvarem vidas.

"Hoje, somos nós que os devemos louvar. Vamos, juntos, chutar este vírus e ganhar este jogo. E lembrem-se, se o vírus não vai ao Zlatan, o Zlatan vai ao vírus", escreveu o jogador.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 194 mil pessoas, das quais mais de 7800 morreram. Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 150 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Depois da China, a Europa tornou-se o epicentro da pandemia, o que levou vários países a adotarem medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde elevou esta quarta-feira o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que no dia anterior, e deu conta da segunda morte no país em consequência da pandemia.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de