Seleção portuguesa de râguebi vai ser vacinada nos próximos dias

Presidente da Federação disse que foi informado "durante a manhã", pela task-force de vacinação, de que o pedido foi aprovado.

Os jogadores da seleção portuguesa de râguebi vão ser vacinados contra a Covid-19 nos próximos dias, adiantou esta terça-feira o presidente da Federação, um dia após acusar o Governo de não dar resposta ao pedido há mais de duas semanas.

Carlos Amado da Silva disse à agência Lusa que foi informado "durante a manhã" desta terça-feira, pela task-force de vacinação, de que o pedido da Federação Portuguesa de Râguebi (FPR) foi aprovado e que "toda a comitiva" que se vai deslocar aos Países Baixos e à Rússia, em julho, será vacinada "nos próximos dias".

O líder da FPR, aliás, sublinhou o papel da task-force, comandada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, que terá sido, no seu entendimento, a entidade que "desbloqueou toda a situação".

Os jogadores e restantes elementos da comitiva nacional, que ainda não tenham sido vacinados, vão ser inoculados "com a vacina unidose", adiantou Amado da Silva, ou seja, a da Janssen, grupo farmacêutico do gigante norte-americano Johnson & Johnson, única que completa a vacinação com apenas uma dose.

Entretanto a task-force de vacinação também já confirmou esta terça-feira que a seleção portuguesa de râguebi vai ser vacinada contra a Covid-19 antes da participação no Europeu, "em coerência" com o procedimento adotado para outras representações nacionais.

"A seleção portuguesa de râguebi, que irá participar no Campeonato da Europa, irá, em coerência com o procedimento adotado com a seleção nacional de futebol, bem como com a comitiva portuguesa aos Jogos Olímpicos, ser vacinada", explicou a task-force, numa resposta por escrito.

"Uma vez mais", esclarece a entidade liderada pelo vice-almirante Henrique de Gouveia e Melo, "esta vacinação insere-se na lógica de exceção para ações específicas de representação oficial do país em eventos internacionais, junto de organizações que recomendam a vacinação dos participantes".

Na segunda-feira, o presidente da FPR disse à Lusa que aguardava por uma resposta ao pedido de vacinação das seleções nacionais de râguebi "há mais de duas semanas".

Carlos Amado da Silva garantiu ter enviado pedidos "ao ministro da Educação, ao secretário de Estado do Desporto e à ministra da Saúde" e disse que iria responsabilizar "o Governo pelo que vier a acontecer".

A seleção portuguesa de râguebi vai disputar, no próximo mês, dois encontros do Europe Championship 2021, nos Países Baixos, em 10 de julho, e na Rússia, em 17 de julho, que servem de apuramento para o Mundial de França 2023.

Por esse motivo, e "depois de se saber que a seleção de futebol foi vacinada antes do Europeu", a FPR fez chegar um pedido de vacinação para as suas representações nacionais, explicou Amado da Silva.

O líder federativo lembrou, ainda, que se algum jogador testar positivo à Covid-19 já nos Países Baixos ou na Rússia, "o jogo não se realiza e Portugal sofre uma derrota administrativa por 28-0", o que compromete seriamente os objetivos de qualificação para o Mundial.

Além disso, se ocorrer um teste positivo na Rússia, "pelo protocolo em vigor, toda a comitiva terá de ficar em quarentena durante duas semanas num hotel em Moscovo e suportar os custos", disse na segunda-feira o presidente da FPR.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de