"Sou sportinguista, infelizmente!"

O antigo jogador dos leões, Samuel Fraguito, é o convidado desta semana do Entrelinhas.

Durante nove temporadas, Samuel Fraguito espalhou técnica no meio-campo do Sporting, entre o final dos anos 1960 e início da década de 1980.

O antigo médio jogou ao lado de outros craques, bem conhecidos do futebol português. Na primeira fase da carreira, partilhou o relvado com Yazalde e Dinis e, mais tarde, com Manuel Fernandes, Damas, Jordão, Keita e Manuel do Ó.

Longe vão os tempos de glórias dessa equipa dos leões, que Fraguito recorda com saudade.

Mas o futebol de Fraguito tem origem do outro lado do Atlântico. O antigo médio deu os primeiro toques na bola no Rio de Janeiro. Quando tinha apenas um ano, os pais emigraram para o Brasil e, aos 15 anos, Fraguito inscreveu-se nos juniores do Fluminense.

A situação familiar alterou-se e acabou por regressar a Vila Real, terra natal dos progenitores.

Em entrevista ao Entrelinhas, o antigo jogador do Boavista e Sporting, comenta a atual situação do clube de Alvalade e do presidente, Bruno de Carvalho.

"Fez muito bem às finanças e ao clube, mas depois disso faz muito mal aos jogadores e ao futebol", considera Fraguito sobre o líder leonino.

Na conjuntura atual, a relação entre os sócios e o clube não é a melhor. O ex-jogador deixa, por isso, críticas à principal claque dos leões.

"A Juventude Leonina tem sete mil pessoas, é muito poder. Nas assembleias-gerais ameaçam as pessoas e fizeram isso com o Acuna e a sua mulher. Há pessoas que têm medo da JuveLeo", admite o antigo médio dos leões, referindo que é com grande mágoa que assiste à situação do clube.

Fraguito lamenta os poucos títulos conquistados pelos leões, no futebol, nos últimos 40 anos. Nesta entrevista conduzida por João Ricardo Pateiro, o ex-médio deixa no entanto elogios à postura do treinador Jorge Jesus

"O treinador fez o mais correto, ficar ao lado dos jogadores. (...) É pena (não ter condições para continuar) e gostava que ele continuasse", lamentou Fraguito.

Atualmente, Fraguito trabalha na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, onde é técnico de manutenção nos blocos laboratoriais.

Para além disso, o antigo jogador treina jovens craques dos 5 aos 8 anos no Abambres, um clube de Vila Real que aposta bastante na formação.

Ainda hoje, com 66 anos, Fraguito consegue deixar espantados os miúdos com algumas habilidades que consegue fazer. "Continuo a tratar bem a menina."

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de