Surfar à porta de casa. Frederico Morais e o regresso à liga de surf portuguesa

De licra amarela, sinal de liderança do ranking nacional da liga, Frederico Morais regressa às ondas nacionais.

Frederico Morais está de regresso às competições nacionais de surf. A liga portuguesa foi a primeira no mundo a arrancar depois da pandemia, uma oportunidade para o único representante português no Circuito Mundial e atleta já apurado para os Jogos Olímpicos de 2020 (adiados para 2021).

"Não há nada melhor do que competir em Portugal, perto dos amigos, da família. Dormir em casa é, sem dúvida, o melhor disto tudo", diz o surfista de 28 anos, conhecido como "Kikas".

A prova, que começa esta sexta-feira, é a segunda do circuito. Em Ribeira D'Ilhas, Ericeira, Frederico Morais parte na frente, depois da vitória na primeira jornada, no Cabedelo. "Temos praias lindíssimas, grandes ondas. Sinto-me em casa, confiante. Sem dúvida que é especial competir em Portugal", comenta.

O calendário internacional contínua em suspenso. Depois do cancelamento das provas devido à pandemia, Frederico Morais tem agora de esperar por novidades para saber quando vai voltar a competir com a elite mundial do surf.

"Não tenho qualquer perspetiva sobre a retoma do World Tour. Tenho a certeza de que vão tomar a decisão mais acertada, pensando nos atletas e nos fãs. Agora é aguardar", afirma.

Frederico Morais deve cumprir a prova da Ericeira e depois, na terceira jornada, voltar às ondas que bem conhece em Cascais. "Qualquer campeonato, qualquer hit, é sempre uma boa oportunidade para treinar para os Jogos Olímpicos e para o Circuito Mundial.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de