Varandas Fernandes e a reação de Vieira: "O presidente assumiu a responsabilidade, e bem"

Para o vice-presidente do Benfica, o momento de resultados negativos no plano desportivo não deve por em causa o projeto encarnado. Defende que Luís Filipe Vieira deve recandidatar-se e que o calendário eleitoral para os órgãos sociais deve ser respeitado. Eleições só em outubro, tal como previsto.

O vice-presidente do Benfica, Varandas Fernandes, considera que Luís Filipe Vieira esteve bem ao assumir a responsabilidade pelo momento dos encarnados. No Fórum TSF, Varandas Fernandes defendeu ainda que o presidente do Benfica deve voltar a candidatar-se, e que a reação de Vieira após a derrota no Funchal foi natural, a reação de quem não está satisfeito com os resultados desportivos.

"O presidente Luís Filipe Vieira assumiu a responsabilidade, e bem, porque ele é o presidente do Benfica. Ele e todos os responsáveis da direção do Benfica têm de assumir a responsabilidade", considera o vice-presidente das águias.

Varandas Fernandes não estranha o desabafo do presidente depois do encontro, quando explicou que iria falar com a família antes de tomar uma decisão sobre o seu futuro no Benfica. "Vieira está magoado e triste com aquilo que tem sucedido. É uma reação natural e humana de uma pessoa que vive e sente o Benfica perante o resultado negativo."

"Foi um momento de triste para todos nós, que já vinha de há alguma semanas atrás, mesmo antes da pandemia (...). É tempo de refletir e tirar as consequências daquilo que está a ocorrer no Benfica", considera o responsável.

O projeto do Benfica não foi posto em causa, diz Varandas Fernandes

Sobre a hipótese de saída de Luís Filipe Vieira da presidência, Varandas Fernandes confessa que ainda não falou com o presidente depois do jogo.

"Não falei com o presidente Luís Filipe Vieira, portanto não sei", diz Varandas Fernandes. "Se ele me pedir a opinião, pela história, pela reconstrução desde 2003 (...), aconselho-o a recandidatar-se. Tem que se ser grato", acrescenta.

"Temos estado a viver péssimos resultados", refere Varandas Fernandes, "mas isso não nos pode levar a comprometer tudo o que foi feito até aqui". "Uma coisa é a conjuntura, outra é tudo aquilo que conseguimos nos últimos anos", defende, dando como exemplo os ciclos negativos que atravessaram no passado recente outros clubes europeus.

Varandas Fernandes reitera o que o Benfica conquistou nas últimas temporadas. "Temos uma estrutura sólida, coesa", afirma Varandas Fernandes. "O que os nossos adversários ambicionam é a demissão de Luís Filipe Vieira", afirma, recordando o crescimento do clube nos últimos anos, durante a presidência de Vieira.

Contra eleições antecipadas: "Os mandatos são para cumprir"

Varandas Fernandes rejeita a hipótese de eleições antecipadas. O ato eleitoral está agendado para outubro, e deve ser respeitado, em nome da estabilidade, diz o responsável. "As eleições têm o seu prazo (...), os mandatos são para se cumprir. O clube tem de ser estável, (...) nós não somos como outros que andam na praça pública com gestões emocionais vividas ao momento."

"Não é tempo de estarmos divididos, de promessas fáceis ou de populismos", considera o vice-presidente do Benfica.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de