Varandas pede intervenção do Governo. "Gente desta tem de ser banida dos recintos"

Presidente do Sporting quer ser ouvido pelo executivo e propõe a criação de um conselho estratégico para discutir medidas de combate à violência no desporto.

O Presidente do Sporting condenou fortemente esta segunda-feira as agressões ocorridas no Estádio do Bessa, na semana passada e no Dragão Caixa, no sábado. Miguel Nogueira Leite, membro do Conselho Diretivo do clube foi agredido no recinto do Boavista enquanto a esposa de Miguel Albuquerque, diretor para as modalidades dos leões, foi "esmurrada" no pavilhão do FC Porto, durante o jogo de hóquei em patins com os leões.

Para Frederico Varandas, "o que aconteceu não pode ser esquecido, ignorado e muito menos tolerado". "Gente desta tem de ser banida dos recintos desportivos", defendeu o presidente leonino, deixando recados para quem tutela a atividade desportiva.

"Federações, Liga, conselhos de justiça e disciplina, Secretaria de Estado do Desporto não podem fingir que isto não aconteceu. Se as leis e se as regras existem, haja coragem para as aplicar", disse.

Frederico Varandas revelou que recebeu um telefonema do presidente do FC Porto. Pinto da Costa ter-lhe-à pedido desculpas, tal como Pedro Proença, líder da Liga de Clubes. Mas o presidente do Sporting entende que uma "simples" conversa telefónica não é suficiente, exigindo ação à justiça civil e desportiva.

"As federações têm de intervir e de repudiar publicamente. O Estado tem de legislar e é co-responsável para criar condições para que isto não se volte a repetir", sublinhou, exigindo respostas "ao mais alto nível institucional".

"Isto não é um problema do Sporting, é um problema nacional. Vamos pedir com urgência uma audiência ao Governo. Vamos pedir reuniões com todos os presidentes das federações e ligas onde o Sporting disputa os campeonatos e propomos já a criação de um conselho estratégico para a segurança no desporto", anunciou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de