Veríssimo lança final da taça com "50/50 de possibilidades para cada equipa"

Técnico das águias descarta o momento das equipas e garante não estar preocupado com o seu futuro no clube.

O treinador do Benfica, Nélson Veríssimo, realçou hoje que a final da Taça de Portugal de futebol, frente ao campeão nacional FC Porto, reveste-se de "características diferentes", não tendo grande importância "uma equipa estar melhor que a outra".

"Este ano não vencemos o FC Porto nos dois jogos da I Liga. Em circunstâncias iguais, no campeonato anterior, tínhamos vencido. Este é um jogo com características diferentes. Independentemente de uma equipa estar melhor que a outra, acaba por não ter grande importância. Considero que há 50/50 de possibilidades para cada equipa", assumiu.

O Benfica efetuou um mini-estágio de preparação para o derradeiro jogo da temporada, com treinos em Peniche, e Nélson Veríssimo, em conferência de imprensa de antevisão, disse aos jornalistas que sente os jogadores "com motivação natural de alguém que vai disputar uma final".

"Temos sentido uma grande ambição, vontade e crença de que vamos dar uma boa resposta e vamos vencer o jogo", afirmou, ressalvando: "[O Benfica] Tem de se apresentar como se apresentou nos últimos jogos, sabendo que este jogo vai ser de grau de complexidade acrescido, um jogo extremamente difícil, mas vamos entrar com ambição".

Nélson Veríssimo não está preocupado com o seu futuro, apesar da contratação de Jorge Jesus para orientar os 'encarnados' a partir da próxima época, focando o objetivo apenas na preparação para a final da Taça de Portugal e na conquista do troféu.

"O meu futuro, neste momento, é o que menos me preocupa. O que nos tem orientado é preparar a equipa da melhor forma possível para ganhar cada jogo", disse, acrescentando: "Tenho vivido muito o dia-a-dia, o treino a treino, o jogo a jogo. No final deste jogo, vou ter um período de reflexão e vou perceber o que se passou e como as coisas decorreram".

O técnico das 'águias' apontou a maior eficácia verificada nos últimos jogos como a principal diferença desde que assumiu o comando da equipa, que já teve hoje a treinar o lateral-esquerdo Nuno Tavares e o médio Adel Taarabt, ao passo que Samaris "tem um pequeno problema e está entregue ao departamento clínico", tal como o defesa Grimaldo.

O defesa Rúben Dias também esteve presente na antevisão ao encontro com o FC Porto e expressou a motivação do plantel para vencer a final, alertando que o Benfica entra "em tudo para ganhar", apesar de as restantes competições não terem corrido como pretendido.

"Estes jogos decidem-se ao detalhe. Preocupámo-nos connosco e acreditamos que nós somos o foco principal. Se acreditarmos em nós próprios, estamos mais perto de ganhar", sublinhou, alertando que, apesar do palco da final ser o Estádio Cidade de Coimbra, ao invés do Estádio Nacional, e de não haver público nas bancadas, "não deixa de estar lá o peso todo".

O internacional português recordou que, apesar de atravessarem "uma fase complicada", a defesa do Benfica foi, durante "grande parte do campeonato, a melhor defesa" e, mesmo nessa altura, já existiam críticas e colocava-se "tudo em causa".

A final da Taça de Portugal entre o campeão nacional FC Porto e o 'vice' Benfica está marcada para sábado, às 20:45, no Estádio Cidade de Coimbra, num embate que será disputado sem público nas bancadas, devido à pandemia de covid-19, e será arbitrado por Artur Soares Dias, da Associação de Futebol do Porto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de