Verstappen passa pelos pingos da chuva e vence o GP da Hungria

Num fim de semana em que a precipitação foi convidada de serviço, a estratégia nas boxes decidiu vitórias e desilusões. Max Verstappen partiu de décimo, fez uma recuperação para conquistar a segunda vitória consecutiva e dilatou ainda mais a vantagem em relação a Charles Leclerc.

O circuito de Hungaroring, na Hungria, foi o palco da 13.ª corrida da temporada de Fórmula 1. Na qualificação, George Russell surpreendeu todos com a pole position, mas foi Max Verstappen, que partiu em décimo, a vencer um Grande Prémio marcado pelo tempo instável e ameaça de chuva forte.

O jovem britânico partiu melhor e manteve a liderança durante a parte inicial da corrida. Devido a um incidente no final do pelotão, entre Alexander Albon e Sebastian Vettel, o safety car virtual foi ativado e, quando a bandeira verde foi mostrada, Russell fugiu alguns segundos.

Mais atrás, Verstappen ia ganhando posições e, quando começou o jogo nas boxes do Hungaroring, a possibilidade de vitória era cada vez mais notória. Entretanto, George Russell e ambos os Ferrari, de Leclerc e Sainz, foram penalizados por estratégias menos conseguidas da equipa de Maranello.

Durante toda a corrida, a chuva foi caindo com pouca intensidade, mas as rádios entre pilotos e os engenheiros demonstravam preocupação. Na pista, o leão neerlandês ia mostrando as garras para assumir a dianteira do pelotão, de onde nunca mais saiu até cruzar a linha de meta no final das 70 voltas ao circuito húngaro.

Lewis Hamilton, que partiu de sétimo e tinha reportado problemas no DRS na qualificação, terminou em segundo. O colega de equipa da Mercedes, George Russell, o pole sitter, fechou o pódio, numa reedição dos três primeiros lugares da última semana, em Paul Ricard.

No campeonato, antes da pausa de verão, Max Verstappen lidera o campeonato do mundo de Fórmula 1 com 258 pontos, mais 80 que Charles Leclerc. No terceiro lugar, segue Sérgio Pérez com 173. A liderança do neerlandês parece cada vez mais indestrutível e difícil de ultrapassar.

A prova entra, agora, numa fase de férias. Os cadeados fecham as fábricas das 20 equipas e os motores voltam a ser ouvidos no Grande Prémio da Bélgica, em Spa, entre 26 e 28 de agosto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de