Benfica com mecanismo alemão vence Rio Ave e reforça liderança

Bis de Waldschmidt na primeira parte e um golo de Gabriel no final do jogo deram ao Benfica mais três pontos. Veja os golos.

O Benfica foi a Vila do Conde impor a primeira derrota do Rio Ave na I Liga. Os encarnados venceram a equipa de Mário Silva por 0-3, com golos de Waldshmidt (2) e Gabriel.

Na primeira parte, o alemão concluiu com um míssil uma assistência deliciosa de Everton Cebolinha. A formação comandada por Jorge Jesus dominou sempre o encontro e, antes do intervalo, aumentou a vantagem também por intermédio do avançado alemão.

Na segunda parte, o jogo foi mais dividido e o Benfica geriu a vantagem. Aos 84 minutos, Gabriel apontou o terceiro golo do Benfica no jogo.

Depois do empate no clássico entre Sporting e FC Porto, o Benfica entrava em campo com a possibilidade de reforçar a liderança para cinco pontos de vantagem em relação ao segundo classificado.

Mas pela frente tinha uma equipa muito aguerrida como já demonstrou o Rio Ave. Para este encontro, Jorge Jesus deu a titularidade a Jan Vertonghen, que treinou condicionado durante a semana. De resto, o técnico encarnado manteve o seu onze base, com Darwin e Waldschmidt na frente de ataque e Gabriel e Pizzi no meio campo.

O jogo começou com ambas as equipas a discutirem a posse de bola, mas a equipa de Jorge Jesus foi a primeira a marcar. Perda de bola no meio campo para os homens de Vila do Conde. A bola chegou de forma quase "instantânea" a área e Cebolinha com um toque açucarado, serviu Waldschmidt que fuzilou a baliza de Kieszek.

Aos 15 minutos, o Benfica teve a sua primeira contrariedade do jogo. André Almeida saiu lesionado de uma disputa de bola e Gilberto entrou para o lado direito da defesa encarnada. Poucos minutos depois, Aderllan perdeu a bola em zona proibida para Waldschmidt que serviu Darwin para aquele que seria o seu primeiro golo.

No entanto, o lance foi anulado pelo videoárbitro pela posição irregular do avançado uruguaio.

O Rio Ave tentava responder, mas a defensiva do Benfica estava confiante e segura. Aos 28 minutos, os encarnados voltaram a conquistar a posse de bola no meio campo e, em poucos toques, Waldschmidt progrediu com a bola nos pés e rematou para o fundo da baliza rioavista.

No entanto, a posição do alemão suscitou dúvidas e o VAR voltou a anular um golo ao Benfica, ao confirmar a irregularidade do lance.

A equipa de Jorge Jesus mostrava muita agressividade em campo, contrastando com a passividade da defesa vilacondense. Darwin fez o que quis de Ivo Pinto e, a aguentar a oposição, serviu Waldschmidt para o alemão bisar.

Na segunda parte, o Rio Ave entrou com outra postura e o Benfica teve dificuldades em travar a agressividade do adversário. No entanto, as unidades do ataque encarnado estavam a ter uma noite inspirada, sobretudo o alemão Waldschmidt.

O avançado contratado ao Friburgo era uma autentica dor de cabeça para a defensiva do Rio Ave, combinando muito bem com Darwin. Ambos criavam sempre jogadas de muito perigo para a baliza de Kieszek.

Aos 68 minutos, Darwin ganhou um ressalto e já na área caiu na sequência de um corte de Ardellan. O árbitro João Pinheiro, numa primeira análise, apontou para a marca de grande penalidade. O VAR reviu o lance e anulou a jogada por fora de jogo.

Já depois dos 80 minutos e após várias substituições de ambas as equipas, o Benfica aumentou a vantagem. Pizzi cruzou para a área onde estava Seferovic. O avançado suíço, viu a bola ser sacudida pela defensiva vilacondense e Gabriel apareceu na zona central para fuzilar e aumentar a vantagem dos encarnados.

Onze do Rio Ave: Kieszek, Ivo Pinto, Nélson Monte, Borevkovic e Aderllan; Filipe Augusto e Tarantini; Mané, Geraldes e Piazon; Bruno Moreira.

Suplentes: Leo Vieira, Gelson Dala, Diego Lopes, Pelé, Ronan, Jambor, Pedro Amaral, Meshino e Gabriel Souza.

Onze do Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Otamendi, Vertonghen, Grimaldo; Gabriel, Pizzi, Rafa, Everton, Waldschmidt, Darwin.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de