Volta a Portugal. Jóni Brandão e João Rodrigues disputam amarela no Porto

Os últimos 19,5 quilómetros de 1.533, que ligam Vila Nova de Gaia ao Porto, serão decisivos como nunca, uma vez que Jóni Brandão e João Rodrigues estão separados por centésimos de segundo.

O contrarrelógio da 10.ª e última etapa da Volta a Portugal em bicicleta vai decidir o vencedor, com o camisola amarela Jóni Brandão (Efapel) e João Rodrigues (W52-FC Porto) a partirem quase em igualdade.

Os últimos 19,5 quilómetros de 1.533, que ligam Vila Nova de Gaia ao Porto, serão decisivos como nunca, uma vez que Jóni Brandão e João Rodrigues estão separados por centésimos de segundo à entrada para o último dia de prova.

No último dia, o Porto regressa ao traçado e volta a acolher o final da prova, 30 anos depois de o atual diretor da corrida, Joaquim Gomes, aí confirmar, aos 23 anos, o primeiro triunfo na Volta.

O contrarrelógio parte de Canidelo, atravessando a Marina da Afurada antes de começar a subir, passando depois por Candal, Coimbrões e a Avenida da República, a caminho da ponte do Infante.

Do outro lado do rio Douro, os ciclistas passam pela zona da Ribeira antes de começarem a subir, por Mouzinho da Silveira, antes de irem à Torre dos Clérigos e fecharem o exercício na Avenida dos Aliados, em frente à Câmara do Porto.

Jóni Brandão chega ao último dia da 81.ª edição da Volta a Portugal na liderança da geral, procurando suceder ao espanhol Raúl Alarcón, o grande ausente desta edição depois de vencer em 2017 e 2018, com João Rodrigues em segundo a centésimos.

O espanhol Gustavo Veloso (W52-FC Porto), campeão em 2014 e 2015, é terceiro a 40 segundos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de