Yolanda Sequeira aproveitou a onda e agora "não há limites"

A surfista ficou esta segunda-feira como última resistente lusa na modalidade, dado o afastamento de Teresa Bonvalot, após a derrota frente à brasileira Silvana Lima.

A surfista portuguesa Yolanda Sequeira, apurada para os quartos-de-final da prova de de surf de Tóquio2020, disse esta segunda-feira à Lusa que aproveitou as boas condições do mar para avançar e que agora "não há limites".

A jovem algarvia, de 23 anos, conquistou 10,84 pontos (6,17 e 4,67) no segundo heat da terceira ronda, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, contra os 9,4 (5,83 e 3,57) da francesa Johanne Defay, assegurando, desde já, um diploma olímpico na estreia da modalidade em Jogos Olímpicos.

"Tentei entrar dentro de água sem aquela pressão. Já sabia a maneira como ela surfava, que tinha grandes possibilidades de scores altos, tentei manter o meu foco e surfar as melhores ondas", declarou.

A surfista ficou esta segunda-feira como última resistente lusa na modalidade, dado o afastamento de Teresa Bonvalot, após a derrota frente à brasileira Silvana Lima.

Já nos 'quartos', Sequeira não quer colocar metas quando já tem o diploma 'no bolso'. "Aqui não há limites, não é?", atira.

As condições mais "difíceis" do mar favoreceram "o pessoal que faz muito" o circuito de qualificação, face ao principal, porque aí "já estão habituadas a ondas perfeitas".

E se Yolanda Sequeira, ou Yolanda Hopkins como surge por vezes em provas internacionais, não era "um nome assim tão conhecido", depois desta prestação, "agora é".

Face à sul-africana Bianca Buitendag, adversária por um lugar nas meias-finais, a portuguesa espera "uma oponente forte", mas também condições diferentes na praia de Tsurigasaki, em Chiba.

"O mar estará diferente amanhã [terça-feira], como o nosso surf é diferente todos os dias. Não estou a focar-me demasiado no futuro, estou no momento", remata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de