Zidane assume ter saído por sentir falta de confiança da direção do Real Madrid

Zinedine Zidane considerou que foi esquecida "muita coisa importante" como a relação com os jogadores e com as 150 pessoas que trabalham com a equipa.

Zinedine Zidane apontou a falta de confiança dos dirigentes do Real Madrid como a principal causa para a sua saída do comando técnico da equipa de futebol do Real Madrid, efetivado na quinta-feira.

"Fui embora não por me sentir cansado ou querer 'abandonar o barco'. Em maio de 2018, saí por sentir que a equipa precisava de um novo discurso para se manter ao mais alto nível. Atualmente, as coisas são diferentes, sinto que o meu clube não me dava a confiança de que preciso, não me apoia num projeto a médio e longo prazo", escreveu Zidane.

Numa carta aberta publicada esta segunda-feira no diário desportivo espanhol AS, o francês afirmou conhecer a exigência de um clube como o Real Madrid, "onde quando não se ganha, se deve sair", mas considerou que foi esquecida "muita coisa importante" como a relação com os jogadores e com as 150 pessoas que trabalham com a equipa.

"Não queria privilégios, claro que não, mas apenas mais um pouco de memória", referiu Zidane, cuja saída foi anunciada na quinta-feira, após uma época sem conquistar qualquer título.

O antigo internacional francês considerou que no futebol atual "a 'vida' de um técnico no banco de um grande clube ronda as duas épocas, não mais", mas frisou que, na sua opinião, "as relações humanas são essenciais e mais importantes do que o dinheiro e a fama".

Zidane, que em 2018 tinha renunciado ao cargo de treinador, poucos dias depois de ter conquistado o terceiro título consecutivo na Liga dos Campeões, disse que ficava magoado cada vez que, após uma derrota, a imprensa falava na substituição do treinador.

"Doía-me muito quando lia na imprensa, após uma derrota, que me iam substituir se perdesse o jogo seguinte. Doía-me a mim e a todo o plantel, porque estas mensagens, passadas intencionalmente à comunicação social, tinham efeitos negativos no plantel e criavam dúvidas e mal-entendidos", afirmou.

Na carta, Zidane agradece o carinho que recebeu no clube, enquanto jogador e como treinador: "Vesti a camisola do clube, pela primeira vez, há 20 anos, e logo senti o carinho de todos. Sempre senti que havia algo muito especial entre nós. Tive a honra de ser jogador e treinador do clube mais importante do mundo, mas antes de tudo, sou mais um 'madridista'".

Os 'merengues' terminaram a época 2020/21 em segundo lugar na Liga espanhola, atrás do rival Atlético de Madrid, foram eliminados nos 16 avos de final da Taça do Rei de Espanha, nas meias-finais da Supertaça espanhola e nas meias-finais da Liga dos Campeões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de