Acabou o "calvário" para muitos emigrantes lesados do BES

Proposta para recuperar 75% do dinheiro está a ter a ser aceite pela maioria, mas os emigrantes clientes do BES alertam que ainda há 2 mil contas e muito dinheiro à espera de solução.

A grande maioria dos emigrantes lesados do BES estão a aceitar a proposta apresentada pelo Novo Banco para recuperarem boa parte do prejuízo.

O prazo para este grupo de lesados do BES aceitarem a proposta acaba esta segunda-feira, mas a associação que representa as "vítimas" do fim do império Espírito Santo garante que, no final da semana passada, existiam filas de clientes a quererem encerrar o problema.

A vice-presidente da Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP), Helena Batista, adianta à TSF que não têm dúvidas que a grande maioria está a apresentar os papéis para que o prejuízo seja recuperado em 75%.

Em causa estão 1400 lesados que tinham recusado a primeira proposta de 2015, mas a associação sublinha que ainda há cerca de 2 mil contas de outros produtos financeiros que continuam sem solução.

Os clientes emigrantes do BES reafirmam que quando investiram em obrigações e ações preferenciais pensavam que estavam a assinar contratos para depósitos a prazo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de