OE retificativo prevê 2,2 mil milhões para Banif

Depois de uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, o governo aprovou a proposta de orçamento retificativo que será discutida amanhã no Parlamento.

O governo estima que o défice para 2015 pode deslizar "mais do que um ponto percentual", embora a operação não conte para o procedimento por défice excessivo.

A jornalista Judith Menezes e Sousa explica as declarações de Mário Centeno sobre o Banif

00:0000:00

O Conselho de Ministros aprovou a proposta de orçamento retificativo. O apoio ao Banif é de cerca de 2.2 milhões de euros: 1766 milhões de euros e um empréstimo ao fundo de resolução de 489 milhões de euros, segundo as contas do ministro das Finanças. Os 1.776 milhões de euros implicam uma injeção de capital de 1.016 milhões de euros no Banif e outros 750 milhões de euros que vão funcionar como garantia.

Mário Centeno admite reflexos no défice de 2015 e dos anos seguintes. No entanto, o ministro das Finanças garante que que este tipo de operações não conta no âmbito do procedimento dos défices excessivos, logo Portugal deverá conseguir apresentar em Bruxelas um défice inferior a 3% do PIB, como previsto.

Em declarações depois do Conselho de Ministros, Mário Centeno regressou à crítica ao anterior governo considerando que "houve falta de compromisso que objetivamente prejudicou a solução".

Sobre a atuação do Banco de Portugal, Centeno referiu que "foram demasiados meses e demasiados procedimentos inconclusivos" que fizeram "aumentar o custo" da solução adotada.

O orçamento retificativo vai ser debatido na quarta-feira de manhã, incluindo também as votações na especialidade e final global.

Esta tarde na conferencia de lideres houve compreensão por parte de todos os partidos para a urgência de reforçar os limites de endividamento e das garantias do Estado em relação ao Banif.

O orçamento retificativo será explicado amanhã, no parlamento, pelo ministro das Finanças, Mário Centeno.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados