"Se não me tivesse reformado, esta greve estava desconvocada"

António Chora avisa que a CGTP tem poucas hipóteses de conseguir resolver o conflito na empresa.

O homem que esteve à frente das lutas laborais na fábrica de Palmela durante 20 anos afirma que, se ainda estivesse à frente dos representantes dos operários, a greve teria sido desconvocada, considerando que representar os trabalhadores numa multinacional requer uma sensibilidade especial.

António Chora considera que a experiência mostra que uma comissão de trabalhadores dominada pela CGTP tem poucas hipóteses de conduzir o barco a bom porto na empresa.

O antigo coordenador da Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa reformou-se no início do ano e diz que se não estivesse a trabalhar não fazia greve por uma razão simples... teria desconvocado a paralisação.

Ainda assim, Chora está convencido que pode haver um acordo até ao final do ano, desde que haja uma nova comissão que tenha carisma. O sindicalista manifesta preferência por uma lista independente

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de