Banco de Fomento abre linha de crédito para pequenas empresas

O Banco de Fomento vai ter 250 milhões de euros para apoio às Pequenas e Médias Empresas portuguesas.

O dinheiro é fornecido pelo Banco Europeu de Investimento (BEI) que hoje assinou um contrato no ministério da Economia para disponibilizar este crédito que vai chegar às empresas através da Banca a retalho.

O dinheiro pode chegar nos próximos meses às Pequenas e Médias Empresas. "São 250 milhões" vinca o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral que defende ter esta linha de crédito boas condições em comparação com o mercado "com prazos melhores até 12 anos e períodos de carência até 4 anos".

Mas as taxas de juro são variáveis, "dependo da empresas e da avaliação de risco económico de cada empresas", uma avaliação que é feita pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas.

Apesar desta regra as taxas de juro serão mais baixas porque há uma bonificação face ao custo de mercado", sublinha Caldeira Cabral.

Este financiamento fornecido pelo BEI é canalizado em Portugal pela Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD), o chamado Banco de Fomento, que "passa, também, a ter a disponibilidade de dispor de fundos de outras instituições de desenvolvimento com as quais podemos trabalhar em novos protocolos", promete o ministro da Economia.

Por outro lado, esta linha de crédito é independente das ajudas do Estado, "permitindo às empresas investir sem colocar em causa outros financiamentos ou outros projetos em que possam estar envolvidas", sublinha.

Manuel Caldeira Cabral esclarece que dos 250 milhões de euros previstos há cem milhões que vão ficar "disponíveis de imediato" quando o IFD estabelecer os contratos com a banca a retalho que vai fornecer este crédito aos balcões.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados