Bolsas europeias abrem o ano em queda

Depois das bolsas chinesas terem fechado mais cedo pela primeira vez na história, a Europa abriu no vermelho.

O início da negociação este ano está a ser marcado por um aparente efeito de contágio com a queda das bolsas chinesas, que chegou a ultrapassar os 7% e que obrigou mesmo à suspensão da negociação mais cedo que o previsto.

Em causa estará, aparentemente, a reação à contração da atividade industrial na China no mês de dezembro e a desvalorização da moeda chinesa. Ao mesmo tempo, esta segunda-feira entraram em vigor novos mecanismos nas bolsas chinesas para reduzir a volatilidade das bolsas.

Na Europa, Frankfurt lidera as quedas, a cair 3,3%. Lisboa está próxima dos 2% de queda. Paris e Madrid perdem mais de 2%.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de