Centeno denuncia "desvio enormíssimo" de 3 mil milhões na CGD

O ministro das Finanças diz que encontrou na Caixa Geral de Depósitos um "desvio enormíssimo" no plano de negócios e acusa o PSD de "cambalhotas ideológicas". PSD e CDS falam num "vendaval de boatos.

Mário Centeno responsabiliza o anterior governo PSD/CDS-PP pelo "desvio enormíssimo" no plano de negócios e de reestruturação da CGD, que ultrapassou os "3 mil milhões de euros". O ministro das Finanças denuncia esse "desvio" num processo que "tão diligentemente o governo anterior acompanhou", ironizou.

Durante a audição, Centeno defendeu que o banco público "necessita de tranquilidade" acusou o PSD de dar"cambalhotas ideológicas" sobre a Caixa Geral de Depósitos

A denúncia e as críticas do ministro das Finanças

00:0000:00

"A CGD é um ativo importantíssimo para o sistema bancário português, é uma referência para o país, é um pilar da economia portuguesa e do desenvolvimento económico nacional", disse o ministro e numa referência ao anterior executivo considerou que "atuar sem fazer nada não é a maneira certa de atuar".

O ministro defende que o governo está a trabalhar para que o banco público tenha "um novo conselho de administração, um novo modelo de governação e um novo plano de negócios".

Centeno voltou a ironizar sobre a chamada "saída limpa" do programa de assistência financeira, considerando que a resolução dos problemas no sistema financeiro foi "varrida para debaixo do tapete".

PSD e CDS acusam Centeno de "vendaval de boatos"

A denúncia do ministro das Finanças foi muito criticada pelo PSD e pelo CDS

00:0000:00

As críticas do governante mereceram o repúdio do PSD e do CDS que acusaram o ministro de estar a "lançar a incerteza" sobre a CGD com "suspeitas sobre um buraco que não existe".

Ao longo das intervenções, tanto o social-democrata Leitão Amaro como a centrista Cecília Meireles sublinharam que o Governo mantém o silêncio sobre o montante necessário para recapitalizar a Caixa Geral de Depósitos e o quando é que esse processo vai avançar.

O debate ficou ainda marcado pela insinuação de Cecília Meireles sobre o facto de Centeno proferir declarações sobre a CGD nas datas em que a seleção portuguesa de futebol joga. Na resposta, o ministro sugeriu uma reunião "no domingo de manhã" (data da final do Euro 2016), caso exista essa "relação causal".

O PSD insistiu que a atuação do Governo "não tem graça" e insistiu na necessidade de respostas concretas e urgentes.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados