Chineses dos vistos gold sentem-se "enganados por Portugal"

A Liga dos Chineses diz que há centenas de chineses que investiram milhões e desesperam à espera da renovação do visto. Já chegou a ser preparada uma manifestação à porta do SEF que confirma atrasos.

Centenas de chineses que aderiram aos vistos gold sentem-se "enganados por Portugal". Em causa estão atrasos de meses ou mesmo um a dois anos no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) para renovar estes vistos.

O jornalista Nuno Guedes conversou com o empresário Jiaojiao Yao e com o presidente da Liga dos Chineses em Portugal

00:0000:00

Os chineses recordam que fizeram investimentos de milhões de euros e agora nem podem entrar em Portugal a não ser pela via normal para qualquer estrangeiro. Histórias que já chegaram ao meios de comunicação social chineses e estão a dar uma péssima imagem do país.

Jiaojiao Yao recebe a TSF numa empresa de investimentos imobiliários no centro de Lisboa. Há 3 anos a sala onde nos sentamos estava regularmente cheia de chineses que queriam os vistos gold. Hoje, com a má fama de Portugal na China, são raros os novos clientes. Jiaojiao Yao admite que já não sabe o que dizer aos investidores: "é ridículo. Já fizeram o investimento, estamos fartos de esperar e as pessoas sentem-se enganadas", afirma.

Quem tem um visto gold deve vir a Portugal pelo menos sete dias por ano, mas sem a renovação estes chineses têm de pedir um visto normal. Casos que são ainda mais complicados se existir um filho a estudar na Europa pois não podem ir à China sob pena ficarem impedidos de voltar.

Uma "propaganda falsificada"

O presidente da Liga dos Chineses em Portugal confirma que tem conhecimento de centenas de casos do género.

À TSF, Y Ping Chow recorda que o dinheiro já cá está e na China a ideia que passa é que Portugal andou a enganar os chineses: "os ministros e vice-primeiros-ministros anunciaram o golden visa e a comunidade chinesa em Portugal fez esforços para trazer investidores, mas agora para eles é uma "propaganda falsificada"".

A Liga dos Chineses recorda que estamos perante estrangeiros que investiram milhões de euros em Portugal e agora não têm o que foi prometido: "O mínimo era 500 mil euros, mas eu tenho amigos que gastaram 2 ou 3 milhões, além de grupos que investiram 10 ou 15 milhões".

Y Ping Chow conta que tudo se complicou depois de em 2014 o diretor do SEF e um chinês terem sido presos por um alegado caso de corrupção nos vistos gold: "desde esse momento os dirigentes do SEF têm muito medo de encontros com chineses o que é um sinal de falta de credibilidade de si próprios".

Se de início tudo era fácil, agora, há mais de meio ano que a Liga dos Chineses tem pedido reuniões com o SEF e nunca obteve resposta. Revoltados, Y Ping Chow garante que muitos destes chineses ricos já chegaram a preparar uma manifestação à porta do SEF, mas foram travados pela embaixada em Lisboa. E vários começam a tentar vender o que compraram em Portugal.

SEF promete resolver problema até ao final do ano

Em resposta enviada à TSF, o SEF admite "algum atraso nas renovações" das chamadas Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (também conhecidas como vistos gold) o que levou à adoção de "medidas de reforço" como "um grupo de trabalho que tem contribuído para acelerar o processo.

Além disso, existe "um plano de recuperação de pendências", com o SEF a garantir que "até ao final deste ano as renovações estarão atualizadas".

O SEF recusa, contudo, a acusação de que há atrasos superiores a um ano. Estes casos estarão, segundo o SEF, ligados a situações em que não foi entregue "documentação legalmente indispensável", "apesar das sucessivas notificações aos requerentes ou aos seus representantes legais".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de