Cluster português da aeronáutica, espaço e defesa apresenta-se em Bruxelas

São mais de 15 empresas que alinham na 1ª Inovation Session, na capital belga, organizada pela AICEP, e já procurada por mais de 1 centena de interessados.

As inscrições ainda não estão fechadas para este evento que vai mostrar produtos e serviços de empresas nacionais do setor da aeronáutica, aeroespacial e defesa, a investigadores, empresários e outros parceiros europeus e mundiais.

Dos drones controlados pela mente, a tecnologia para naves e satélites ou equipamentos para aeronaves multiúsos, ou mesmo construção de aviões e embarcações, de tudo, um pouco, já se fabrica em Portugal, mas é preciso escala!

Neste sentido, a AICEP, em colaboração com a Confederação Empresarial de Portugal, a Agência Nacional de Inovação e a Eupportunity organizam a primeira Innovation Session, dia 21 de novembro em Bruxelas, como uma Missão Empresarial à capital belga, para promover os setores da Energia e Aeronáutica.

Com a participação do Comissário da União Europeia para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, a primeira sessão foca os temas Energia para o Desenvolvimento Sustentável e Aeronáutica como Driver de Inovação.

No evento, que junta stakeholders europeus - empresas e Universidades - dos setores Energia e Aeronáutica, Comissão Europeia e Associações Setoriais, são apresentadas e discutidas políticas, agendas estratégicas e tendências tecnológicas e de inovação.

O evento prevê sessões setoriais dedicadas à apresentação de todos os inscritos no evento - empresas, universidades e plataformas tecnológicas de diferentes Estados Membros da União Europeia -, uma oportunidade para os participantes portugueses se promoverem perante a Comissão Europeia e potenciais parceiros europeus.

Há mais de uma centena de investidores, potenciais parceiros, empresários e investigadores inscritos nesta primeira Inovation Session, dedicada a uma área de atividade que reúne em Portugal, 70 empresas num cluster sob o chapéu da marca AED e junta as 3 associações representativas de cada segmento deste mercado.

A Pemas é uma delas, dá voz às empresas e indústrias da aeronáutica e o seu presidente, João Romana, falou no programa Negócios em Português, da explosão de crescimento registada na última década, traduzido num volume de negócios anual na ordem de 1,7 milhões de euros, boa parte derivado da exporta que ronda já os 90%.

A instalação em território português, de grandes gigantes, como a brasileira, Embraer e clientes como, a Boeing e a Airbus, a juntar à diferenciação de produtos e inovação, são dados como os motores do crescimento deste sector que já representa mais de 1% do PIB nacional, dá emprego a cerca de 19 mil pessoas e espera contratar mais mil 500 até 2020.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de