Confiança na economia: INE diz que desceu, Bruxelas fala em subida

Para o INE, o indicador de clima económico e a confiança dos consumidores continuaram a agravar-se em dezembro, mas a Comissão Europeia diz que o sentimento económico melhorou.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) «diminuiu nos últimos meses, atingindo em dezembro um novo mínimo da série», alcançando os -59,8 pontos.

«A diminuição em dezembro foi, no entanto, menos intensa do que a verificada nos meses anteriores», acrescenta.

O indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade), por sua vez, agravou-se uma décima para os 4,4 pontos.

Desde janeiro que a confiança dos consumidores vinha a melhorar todos os meses, mas em setembro sofreu uma quebra abrupta, em dezembro esta quebra agravou-se mais ainda, estabelecendo um recorde negativo.

Já o indicador de sentimento económico, medido pela União Europeia, subiu em Portugal de 72,9 pontos em novembro para 77,5 em dezembro.

O mesmo indicador no mês passado cresceu 1,3 pontos na zona euro e 0,3 pontos na União Europeia (UE), segundo dados divulgados hoje pela Comissão Europeia.

Na zona euro, o indicador - que mede a confiança e as expectativas quanto à economia de consumidores e empresas europeias -- subiu para 87 pontos em dezembro, enquanto na UE a 27 avançou para 88,4 para pontos.

De acordo com o executivo comunitário, entre as sete principais economias europeias, o indicador de sentimento económico subiu em Itália (2 pontos), na Alemanha (1 ponto), na França (0,4 pontos), em Espanha (0,3 pontos) e na Holanda (0,2 pontos), tendo recuado na Polónia (-0,2 pontos) e no Reino Unido (-3,5 pontos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de