Deco considera imoral Caixa não pagar juros inferiores a um euro

Banco público vai descer a remuneração nos depósitos de particulares e empresas. Se o valor for inferior a um euro, a Caixa deixará de pagar, mas a Associação de Defesa do Consumidor está contra.

Pode ser legal mas não é moral. É desta forma que a Deco interpreta a decisão de a Caixa Geral de Depósitos de deixar de pagar juros nos depósitos a prazo e depósitos poupança, se o valor for inferior a um euro.

A alteração será feita a partir de 1 de agosto, como consta da informação que o banco público fez chegar aos clientes, a que o Expresso teve acesso.

"Apanhou-nos um bocadinho de surpresa. Se for ao supermercado e comprar uma carcaça, tenho de pagá-la na mesma. Portanto, os juros do depósito bancário, se eu receber um euro ou menos de juros, achamos que o banco deverá pagar esse juro ao cliente", defende António Ribeiro, economista da Associação de Defesa do Consumidor.

Para António Ribeiro, a decisão do banco liderado por Paulo Macedo, "é um sinal muito errado dado ao aforrador". "O sinal devia ser o inverso, que era incentivar a poupança", considera.

O economista da Deco lembra que o pagamento de juros é um direito do cliente e entende que esta decisão da Caixa, se é legal "moralmente, não é correto. "Mesmo que o juro for muito baixo, deve ser pago", sublinha.

A Caixa Geral de Depósitos vai baixar a remuneração de depósitos de particulares e empresas, passando a taxa de juro bruta para 0,015%, a partir do dia 1 de agosto.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados