Descer portagens nas antigas SCUT é bom negócio para o Estado

Conclusão está num estudo encomendado e recebido pelo anterior Governo. Atual executivo diz que teve a informação em conta nas descidas de preços anunciadas para o verão.

Descer os preços pagos pelos condutores nas antigas SCUT vai muito provavelmente aumentar as receitas com portagens. As contas e estimativas foram feitas num estudo encomendado e entregue ao antigo governo pela Infraestruturas de Portugal.

O trabalho a que a TSF teve acesso foi concluído durante o executivo PSD-CDS, mas as conclusões nunca foram conhecidas nem avançaram e surgem agora numa altura em que o atual Governo já anunciou que vai descer as portagens em algumas SCUT, nomeadamente no Interior e na Via do Infante, no Algarve, algures no verão, mas ainda não revelou valores ou data certa.

Na prática, as receitas sobem porque as estimativas apontam para um aumento de tráfego que compensa a descida de preços.

Ganhos podem chegar a 22 milhões de euros

Os cálculos da TSF, juntando os resultados estimados para as sete SCUT, revelam que o cenário mais favorável para o Estado aponta para uma descida de 15% nas portagens. Nesse caso, a receita global aumentaria cerca de 22 milhões de euros (+9%).

Neste cenário de 15%, apenas duas das sete autoestradas dariam menos dinheiro do que se os preços ficassem iguais, sem descidas.

Os ganhos em receitas com portagens seriam especialmente grandes na A23 (Autoestrada da Beira Interior) e na A22 (Via do Infante). Com uma redução de 15%, ambas renderiam, em portagens, cada uma, mais 5 milhões de euros, num aumento de 42% e 21%, respetivamente.

Recorde-se que a A22 e a A23, além de outras SCUT do interior, fazem parte do grupo de ex-SCUT que o atual Governo anunciou que vai ter cortes nos preços.

O estudo da IP revela ainda que apenas as antigas SCUT A4 (Grande Porto) e A28 (Norte Litoral) dariam menos receitas se os preços descessem, sendo que a subida também seria previsível, em vários cenários, na A25, A29 e A24.

Em geral, juntando os valores estimados para as sete autoestradas avaliadas, em todas as hipóteses estudadas o Estado ficava a ganhar dinheiro se descesse os preços, mesmo se esta descida chegasse aos 35%.

Governo confirma: menos portagens, mais receita

Contactado pela TSF, o ministério do Planeamento e Infraestruturas explica que conhecia a conclusão de que a descida de preços resultaria num aumento da receitas das SCUT.

Fonte oficial acrescenta que não a considera surpreendente pois após a introdução das portagens o tráfego nessas vias diminuiu de forma significativa.

O Governo diz ainda que esta conclusão foi tida em conta na decisão de baixar as portagens no interior do país este verão. As novas tarifas não são ainda conhecidas, nem a data de introdução.

A Infraestruturas de Portugal remete qualquer comentário para o executivo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de