Dez milhões de euros para aproximar residentes e turistas

Governo quer que 90 por cento da população esteja satisfeita com o turismo. Para além do Estado, promotores podem ser associações de comércio ou de moradores e empresas.

As candidaturas, destinadas a "apoiar projetos de investimentos que se revelem adequados a garantir a sustentabilidade social e ambiental no turismo", podem começar a ser apresentadas a partir do próximo mês e até ao final de 2018.

Com esta linha de financiamento, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, quer cumprir as metas da Estratégia Nacional de Turismo que apontam para que "90 por cento da população tenha que estar satisfeita com os impactos do Turismo na sua comunidade". "Esta linha enquadra um conjunto de recursos financeiros para apoiar um conjunto de iniciativas que promovam a sã convivência entre residentes e turistas", adianta.

Outro objetivo é "melhorar a qualidade de vida dos residentes e promover uma maior retenção de valor para a comunidade em resultado da atividade turística bem como valorizar a autenticidade do destino", pode ler-se numa nota do ministério da Economia.

Um exemplo dado por Ana Mendes Godinho é "apoiar a valorização e requalificação das lojas com história ou dos mercados do consumo de produtos locais por parte dos visitantes".

Os promotores dos projetos podem ser entidades públicas, associações de comércio ou de moradores e empresas.

Quanto aos apoios financeiros, eles somam 80% do valor das despesas elegíveis dos projetos, com o limite máximo de 300 mil euros por projeto, e 100 mil euros no caso de o promotor ser uma empresa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de