Economia Social na concertação social? "Não creio", diz ministro

Entidades da economia social querem assento na Concertação Social. Ministro Vieira da Silva entende que a pretensão não faz muito sentido.

Unidas em congresso, as entidades da Economia Social assinaram a carta que determina a Confederação do Setor e deixaram, desde logo, a pretensão de terem lugar na Concertação Social.

Questionado pela TSF, o ministro - que esteve presente nessa reunião magna - considera que a pretensão não faz muito sentido: "a concertação social tem outra dimensão", afirma, explicando que "é o espaço onde estão representados os interesses do lado empregador e do lado sindical. Essas instituições distinguem-se precisamente por serem instituições em que essa divisão não tem a mesma natureza"

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social admite que este é "um assunto a discutir", mas confessa não crer "que seja esse o espaço onde elas poderão apresentar as suas posições".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de