EDP queixa-se de perseguição e garante que está pronta para a época de incêndios

A EDP garante que tem limpo as faixas de terreno em redor das linhas elétricas.

Numa entrevista à TSF, realizada em Washington, durante um encontro de presidentes das companhias de eletricidade, António Mexia diz que a EDP tem servido de bode expiatório para as causas dos incêndios do verão passado.

António Mexia revela que a EDP não alterou nenhum procedimento nas limpezas, para a prevenção de incêndios nas florestas. A área limpa continua a ser igual.

"Nós limpamos mais de 7500 Km todos os anos respeitando aquilo que são faixas de 7,5 metros para cada lado e a única coisa que não se pode limpar são as espécies protegidas. Utilizamos hoje tecnologias como helicópteros e drones", adianta.

O presidente da EDP queixa-se que a empresa tem andado a ser perseguida: "Percebemos que às vezes seja tentador procurar bodes expiatórios mas acho que ficou claro para todos que a EDP não teve nada a ver com o antes, porque estava tudo limpo, mas tem a ver com a capacidade de resposta no restabelecimento da energia".

Deste modo, António Mexia não aceita a conclusão dos relatórios da comissão técnica independente aos grandes incêndios em Portugal que suspeita que o maior incêndio de sempre em Portugal terá começado "pela queda de uma árvore sobre uma linha de média tensão".

(O jornalista viajou a convite da EDP)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de