crise financeira

Fábrica da PSA Citroën em Mangualde suspende produção em Dezembro

A fábrica da PSA Citroën em Mangualde vai suspender por dez dias a actividade em Dezembro, juntando-se às recentes paragens de produção da Autoeuropa de Palmela, e da Renault Cacia. Em causa está a quebra das encomendas penalizada pela crise internacional.

 

Às paragens destas unidades fabris, acrescem casos de quedas na produção, como a da fábrica da Mitsubishi do Tramagal, segundo foi noticiado recentemente, apenas escapando a unidade fabril da Toyota Caetano Portugal (Ovar), que não só não vai parar como vai terminar este ano com um acréscimo de 20 por cento da produção, segundo fonte do fabricante.

A «queda brutal da procura» no sector automóvel levou já o ministro da Economia, Manuel Pinho, a anunciar a convocação de uma reunião global no final da semana com fabricantes de automóveis e componentes para analisar o futuro do sector numa conjuntura de crise internacional.

O director-geral da fábrica da PSA Citroën de Mangualde, Juan Muñoz Codina, destaca as dificuldades actuais em manter os níveis de produção tendo em conta a «baixa [da procura] de dois dígitos nos mercados automóveis da Alemanha, Itália e Espanha (caiu 40 por cento)».

A excepção em Portugal é a fábrica da Toyota Caetano Portugal em Ovar que não tem prevista qualquer paragem, já que a sua produção até deverá crescer 20 por cento até final de Dezembro, segundo fonte da empresa, contactada pela agência Lusa.