TAP

Hotelaria estima que greve na TAP vai trazer 300 ME de prejuízos no turismo

São as previsões da Associação de Hotelaria de Portugal: uma greve «desta envergadura» vai levar a que se percam «325 mil hóspedes, 1 milhão de dormidas e 300 milhões de euros de receitas turísticas, pela exportação».

Luís Veiga, o presidente da AHP, diz que «ou nos próximos dias há uma inversão nesta motivação de fazer greve» ou os dias de paralisação da TAP prejuízos vão conduzir a «prejuízos irreparáveis para o setor e para a economia nacional».

«Já fizemos um levantamento de prejuízos e são valores impressionantes, tanto em termos de hóspedes, como de dormidas, como de receita turística. Uma greve desta envergadura pode levar a perder 325 mil hóspedes, 1 milhão de dormidas e 300 milhões de euros de receitas turísticas, pela exportação», adianta Luís Veiga.

O presidente da AHP confirmou à TSF que o anúncio já teve impacto e que «houve cancelamentos imediatos», o que está a causar «preocupação» no setor. A Associação considera que o impacto vai para lá dos dias de greve: «tem implicação nos cinco dias anteriores e nos cinco dias posteriores. Acabam por ser 20 dias.

A TAP mantém a estimativa de prejuízos de 70 milhões. E o porta-voz, António Monteiro, diz que a greve na Portugália só acentua os efeitos.

  COMENTÁRIOS