Empresas

Renault diz que despedimentos em Portugal terão impacto reduzido

Os cerca de dois mil despedimentos que a Renault pretende fazer nas suas filiais europeias não vão ter grande impacto em Portugal, garantiu fonte da empresa em Portugal. Para além destes despedimentos, a marca quer ainda suprimir mais quatro mil postos de trabalho em França.

A Renault Portugal assegurou que os despedimentos anunciados pela marca nas suas filiais de venda europeias vão ter um impacto «praticamente nulo» em Portugal, assegurou fonte da empresa à agência Lusa.

«O impacto em Portugal será muito reduzido, muito perto do nulo», afirmou o director de comunicação da Renault em Portugal, Ricardo Oliveira, sem adiantar mais pormenores.

A marca vai suprimir dois mil empregados das suas filiais em 19 países europeus, 900 dos quais em França, a que se juntam outros quatro mil despedimentos em fábricas francesas, um anúncio que tinha sido feito a 9 de Setembro.

O sindicato CGT explicou que o plano de despedimentos da marca francesa vai afectar em particular a Espanha, a Itália e o Reino Unido bem como a Alemanha, em particular no sector comercial.

A Renault, que não deu detalhes sobre o seu programa de despedimentos, diz que quer privilegiar as saídas voluntárias, num programa que envolve a redução de cerca de seis mil postos de trabalho.

Apesar destes cortes, a marca iniciou há uma semana a construção de um centro de testes em Titu, na Roménia, a que se junta um centro de engenharia inaugurado em Junho de 2007, num investimento total de 450 milhões de euros.

  COMENTÁRIOS