Finanças sem meios para ajudar contribuintes a validar faturas

Autoridade Tributária criou serviço de apoio extra para quem tem dificuldades com a Internet. Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos diz que repartições de Finanças não conseguem responder a tanta procura.

As repartições de Finanças não estão a conseguir responder a todos os pedidos dos contribuintes que não conseguem verificar, validar ou acrescentar faturas no site e-fatura. O alerta é do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI).

O apoio extra de forma presencial nas repartições para quem tem dificuldades na Internet, sobretudo idosos, foi anunciado há algumas semanas. Está a ser disponibilizado em todos as repartições de Finanças e em todas as Lojas do Cidadão. O problema, explica Paulo Ralha, presidente do sindicato, é que "não existe capacidade humana para dar resposta às solicitações" e atender, com o tempo necessário, contribuintes que têm de verificar dezenas e dezenas de faturas passadas durante 2015.

O presidente do Sindicato explica que não há pessoal suficiente para responder às necessidades

00:0000:00

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos acrescenta que os contribuintes estão a ter muitas dificuldades em validar as faturas, mesmo os que trabalham bem com a Internet, seja por falta de tempo ou porque não conhecem as regras fiscais.

Paulo Ralha diz que os serviços não conseguem responder às dúvidas dos contribuintes

00:0000:00

O prazo para validar faturas de 2015 no site e-fatura acaba a 15 de fevereiro, na próxima segunda-feira.

O novo governo aprovou um regime transitório que permite aos contribuintes apresentarem outras despesas de educação, saúde, lares e imóveis que não estejam registadas no e-fatura, no momento da entrega da declaração de IRS, desde que tenham (e guardem) os respetivos comprovativos em papel.

Paulo Ralha defende, contudo, que esta mudança não chega, pois não afeta as chamadas despesas gerais familiares. Ou seja, será preciso adiar o prazo de validação das faturas. O responsável antecipa reclamações, especialmente na altura da liquidação, "quando muitos contribuintes se aperceberem que, em vez de receberem o reembolso do IRS, ou não vão receber reembolso nenhum ou vão ter de pagar acréscimos de IRS".

Para Paulo Ralha, o adiamento de prazos é inevitável

00:0000:00

Nos últimos dias, o sistema informático das Finanças tem tido problemas e esta quinta-feira à tarde esteve mesmo parado. Para resolver essas falhas, já foi anunciado que o sistema vai estar de novo parado, esta sexta-feira, entre as 12h30 e a 13h30.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de