INE: Taxa de desemprego baixa para 10,5% no 3º trimestre

Descida da taxa de desemprego é uma "boa notícia", diz o primeiro-ministro. Vieira da Silva destaca crescimento do emprego.

A taxa de desemprego baixou 0,3 pontos percentuais para 10,5% no terceiro trimestre de 2016, face ao anterior, e 1,4 pontos percentuais face ao trimestre homólogo de 2015.

De acordo com as estatísticas do emprego divulgadas esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a população desempregada, estimada em 549,5 mil pessoas, registou uma diminuição trimestral de 1,8% (menos 9,8 mil pessoas) e uma diminuição homóloga de 11,2% (menos 69,3 mil).

Segundo o INE, este decréscimo está "em consonância" com as diminuições observadas nos terceiros trimestres dos últimos três anos.

A população empregada, estimada em 4,7 milhões de pessoas, registou um acréscimo trimestral de 1,3% (mais 59,0 mil) e um acréscimo homólogo de 1,9% (mais 86,2 mil).

Questionado sobre os números divulgados pelo INE, o primeiro-ministro António Costa considerou que que Portugal recebeu "uma boa notícia" ao registar "nova descida sustentada" da taxa de desemprego e lembrou que o emprego é objetivo central do Governo.

"Os dados do desemprego revelam que Portugal teve uma nova redução sustentada do desemprego, com uma taxa que caiu de 10,9 para 10,5%, com 90 mil novos postos de trabalho criados. Essa é seguramente a boa notícia que nos deve motivar e dar confiança no trabalho que temos vindo a fazer", declarou o líder do executivo.

Antóni Costa comenta os números do desemprego divulgados pelo INE

00:0000:00

Perante os jornalistas, à margem de uma sessão de apresentação do balanço dos primeiros seis meses de execução do Programa Nacional de Reformas (PNR), o primeiro-ministro referiu que o objetivo central do seu executivo no plano económico foi "emprego, emprego e emprego", razão pela qual disse sentir-se "reconfortado" com os dados agora divulgados pelo INE.

Também o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social comentou os números do desemprego considerando que uma redução da taxa de desemprego para 10,5% mostra que "há uma evolução positiva sustentada no mercado de trabalho", através do crescimento do emprego.

Vieira da Silva salienta a criação de postos de trabalho

00:0000:00

Em declarações aos jornalistas, à margem do balanço do Governo aos seis meses do Programa Nacional de Reformas, o governante considerou que "o mais importante é que há um crescimento do emprego, perto de 90 mil postos de trabalho são criados".

"Ou seja, a taxa de desemprego está a diminuir não porque as pessoas se vão embora ou porque deixam de procurar trabalho, mas porque estão a ser criados novos postos de trabalho", declarou, considerando que é sinónimo que "a economia tem dinamismo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de