Economia

Administração da TAP chamada ao parlamento da Madeira

Cancelamentos sem explicação e preços altos vão ser explicados aos deputados madeirenses numa comissão de inquérito.

A administração da TAP vai ser chamada para dar explicações à Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira sobre os preços dos bilhetes para o Continente e os sucessivos cancelamentos de voos.

A garantia foi dada à TSF pelo líder parlamentar do PSD/Madeira, no dia em que arranca a comissão de inquérito no parlamento regional à política de gestão da companhia aérea portuguesa para o arquipélago.

Jaime Filipe Ramos adianta que os trabalhos estão, naturalmente, no início, há muita coisa a definir, mas é certo que quem manda na TAP vai ter de estar presente.

Os deputados da Madeira acusam a TAP de ter uma política de concorrência abusiva, com preços mais caros para a região do que para outros países.

Ao ser convocada numa comissão de inquérito, a administração da empresa terá mesmo de estar presente no parlamento regional.

O PSD/Madeira vai mais longe e acusa a empresa renacionalizada pelo Estado português de penalizar mais os portugueses que os estrangeiros, travando a mobilidade para a Madeira, além dos cancelamentos sem explicação afetando a região autónoma, mas também deixando "crianças, doentes e idosos de um dia para o outro sem qualquer cobertura, em situações que se têm repetido...".

A comissão de inquérito à TAP foi requerida pelo PSD, partido que tem 24 dos 47 deputados madeirenses, numa altura em que o governo regional já avançou com um processo judicial contra a empresa reclamando uma indemnização pelos prejuízos económicos causados ao arquipélago.

Em causa estão cerca de 70 cancelamentos de voos por motivos operacionais desde o início do ano que afetaram perto de 10 mil passageiros.

  COMENTÁRIOS